PUBLICIDADE
Emprego

Portugal é o 9.º país do mundo onde cidadãos manifestam maior predisposição para a emigração

22 | 06 | 2011   09.43H

Portugal é o nono país no mundo onde o seus cidadãos manifestam maior predisposição para a emigração, segundo um estudo hoje divulgado.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

De acordo com o estudo realizado pela empresa de estudo de mercados internacional (GfK) que abrangeu 29 países, com 27 por cento da população portuguesa ativa está disposta a mudar para outro país para encontrar um emprego melhor.

Os resultados do estudo revelam que o risco de fuga de cérebros é uma ameaça em todo o mundo, mas que atinge mais alguns países.

A América Central e a América do Sul são os mercados mais atingidos por esta predisposição para a emigração uma vez que perto de seis em 10 trabalhadores mexicanos (57 por cento), metade da força de trabalho da Colômbia (52 por cento) e dois quintos dos trabalhadores do Brasil e do Peru (41 e 38 por cento, respetivamente) estão dispostos a procurar melhores carreiras além-fronteiras.

Mas, acrescenta o estudo, a tendência está longe de se limitar aos mercados em desenvolvimento: a Turquia surge em 3.º lugar, com 46 por cento, a Hungria, em 7.º lugar, (33 por cento) seguida pela Rússia (29 por cento) e – empatados no 9.º lugar – Portugal e o Reino Unido, com 27 por cento cada.

Até mesmo nos EUA e no Canadá – países tradicionalmente caracterizados pelo seu relativo desinteresse em viver no estrangeiro – um quinto dos seus trabalhadores afirma que está disposto a mudar de país para conseguir emprego melhor, com, respetivamente, 21 e 20 por cento.

O GfK International Employee Engagement Survey inclui as opiniões de 30,556 adultos empregados em 29 países.

Em Portugal, este estudo foi realizado durante os dias 11 e 22 de fevereiro, a uma amostra de 547 indivíduos.

Saiba mais sobre:
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE