PUBLICIDADE
OPINIÃO

O valor do mal

26 | 10 | 2011   19.40H
João César das Neves | naohaalmocosgratis@ucp.pt

Esta crise, como todas, provoca muitas reacções. O pior tem sido a escassez de reacções positivas. Mais dramático que o sofrimento, são as pessoas que deixam a crise tomar conta da sua vida. Talvez por já sermos um país rico, desta vez há demasiada gente a levar a crise a sério. Ela é mais grave que as anteriores, não por estamos a perder mais, mas por ainda não terem começado as anedotas.
A raiva de tantos, o desespero e desânimo de outros, os «indignados» que enchem as nossas ruas, orgulhosos da sua indignação, todas essas atitudes são compreensíveis, até razoáveis. Mas todas assumem a situação como está, aceitando descer ao seu nível. Não a agarram como caminho e instrumento para algo melhor.
O importante na nossa existência não é o que nos acontece, mas o que fazemos com o que nos acontece. O que faz de nós seres humanos é a capacidade de nos elevar acima dos acontecimentos até ao sentido dos acontecimentos.
O que está em causa hoje é o valor do mal, um dos maiores mistérios da humanidade. Santo Agostinho explicou isto de forma cristalina ao dizer: «o Deus sumamente bom, de nenhum modo permitiria existir algum mal nas suas obras, se não fosse tão omnipotente e bom para até do mal tirar o bem» (Enchiridion xi). Goethe descreve o diabo como «uma parte daquele poder/que sempre quer o mal e sempre consegue o bem» (Faust I, iii, 1336-37). Mas talvez nos tempos que correm seja melhor invocar Steve Jobs, que sempre disse que o facto de ter sido expulso da Apple em 1985 foi a causa da melhor parte da sua obra.

© Destak

17 comentários

  • Ó prof. não ligue a comentários idiotas. Pobres sempre haverá, e do espírito ainda mais, tendo em atenção que o Mal sempre teve os mensageiros e agentes.
    Felizalberto | 15.12.2011 | 15.20Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O Gang do PSD no seu melhor. Desde assaltantes de Bancos, a burlões, vigaristas, ladrões e até assassinos, há lá de tudo do pior. É destes bandidos que o Passos Coelho é o testa de ferro. Como se isto não bastasse ainda se juntaram ao Paulo Portas que gastou um BPN em submarinos para roubar 30 milhões. É nas mãos destes mafiosos que o país está. E as Forças Armadas que já deviam ter vindo para a rua, assistem a isto passivamente. Temos de ir para a rua lutar!.
    Temos de ir para a rua lutar! | 31.10.2011 | 00.22Hver comentário denunciado
  • Este também é dos que veste muito bem e fala com muita (!) sabedoria!-----------------------Um amigomeu, costuma dizer em relação a estes bem vestidinhos e bem falantes: ´ O MELRO, NÃO CANTES MAIS, QUE JÁ CONHEÇO ESSA CANTIGA!
    que melro! | 28.10.2011 | 19.28Hver comentário denunciado
  • E portugal não entende... mantém-se na burrice...
    PENSAR É UMA CHATICE | 28.10.2011 | 18.14Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Tenho uma bandeira portuguesa lá fora, enfiada numa malguinha, para TODAS as malguinhas baterem palmas em êxtase outra vez, como muito bem diria o ALEXANDRE BARREIRA, como as bateram no tempo dos estádios de futebol, as malguinhas das TVs, dos jornais, dos políticos, das associações de intelectuais, dos policiais, dos construtores do betão, dos iluminados da economia, dos teus irmãos e da minha tia. Tenho essa bandeira de portugal para nunca mais me esquecer de como é simples e possível acreditar, sem nada estar disposto a fazer, até atingir mesmo as nuvens do patético. E assim então transformar portugal num balão de ar quente, sem entender por que sobe, mas sempre alegre e a cantar o sobe-sobe-balão-sobe...
    PRIMEIRO É PRECISO ENTENDER, SÓ DEPOIS AGIR! | 28.10.2011 | 15.32Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Não podia estar mais de acordo, o nosso grande mal, não tenho dúvida que é acreditarmos que nada pode ser feito, é mais fácil culpar o estado, a crise, os outros.... É sempre bom não esquecer com ou sem crise, Portugal continua a ser um país onde o sebastianismo perdura, mas citando um grande professor que esse sim, pode ensinar muita gente, "enquanto não virmos o futuro nas nossas mãos, então nunca vamos andar para a frente"... citação final no programa dedicado ao culto do D. Sebastião!!!
    LUCIA-LIMA | 27.10.2011 | 23.34Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Portugal tem funcionários da administração pública a mais e demasiado privilegiados. Uns são desnecessários, outros improdutivos mas não podem ser despedidos, enfim...quem tem de pagar isto tudo são as famílias e as empresas. Entretanto foi-se cavando um buraco no Estado para manter os meninos e as meninas bem dispostos e bem nutridos, até que o mundo inteiro veio chamar-nos a atenção e dizer-nos que não estava para nos andar a emprestar dinheiro para queimar com este Estado despesista e irracional.
    Privado sem dívidas | 27.10.2011 | 20.36Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Temos de esperar que os portugueses voltem a mudar as moscas para voltarmos a ler artigos deste autor criticando o que lhe pareça incorrecto na actuação do próximo governo. Por agora é só areia para os olhos dos leitores que não usem viseira. Se quereis encontrar um cristão, procurai-o entre os ateus...
    Abel | 27.10.2011 | 20.04Hver comentário denunciado
  • Atenção, senhores "castros" que podem mesmo ser castrados. Ao longo da nossa história e muito recentemente outros o foram também. Agora, este cronista, douto-casto, não tem sabedoria nem moral para catequisar o povo. Sempre esteve na pleiade de oportunistas e fartou-se de roncar porque com o Pinóquio não lhe deixaram comer da gamela. Enfim, cada um que coma daquilo que goste, se tiver o quê.
    MONALISA | 27.10.2011 | 17.57Hver comentário denunciado
  • Alegre comentário este do JOSÉ CASTRO. Os grandes saques são sempre processos com várias fases. E depois do assalto há sempre alguém enviado pelos assaltantes para fazer a gestão da crise e da indignação de forma a aplacar os ânimos dos assaltados. Esses são também cúmplices no assalto, só que aparecem com paninhos quentes e palmadinhas nas costas, pedindo paciência e civismo. A treta do costume.
    ALEGRE COMENTÁRIO | 27.10.2011 | 16.37Hver comentário denunciado
  • Tristes comentários os que se encontram em baixo. O Professor César das Neves escreve aqui um artigo muito pertinente. Pesem embora todas as dificuldades, as pessoas têm que seaber transformar os problemas em oportunidades. Não podem simplesmente baixar os braços e lamentarem-se. Mesmo quem discorde desta visão, não se entende a pouca elevação que as pessoas têm ao emitir a s/ opinião. Só se vêem insultos gratuitos e anónimos. Essa é a imagem de marca dos fracos.
    José Castro | 27.10.2011 | 16.01Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Caro Senhor, Nós iremos aproveitar esta crise e transforma-la na maior das oportunidades: Eliminar os ladrões e corruptos que destruiram a nossa democracia antes de ela ter tempo de se consolidadar. Talvez possamos começar por si.
    Martunis | 27.10.2011 | 14.11Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Caro senhor autor da crónica, se quer realidade e perceber por que razão os portugueses ainda não reagiram, é porque a realidade é esta: a maioria dos cidadãos quer ver os abusadores que brincaram com o seu país e o seu dinheiro, nos quais se incluem políticos, banqueiros, conselheiros, e etc., alinhados em praça pública para serem fuzilados. E isso é uma questão séria, está a ver, à qual não se pode reagir sem pensar, e sem grande apreensão e sofrimento. Percebeu, não percebeu? Steve Jobs não tem nada a ver com a questão, e a sua evocação é somente mais uma evocação de mortos, como este jornal adora. Se não tem nada para dizer, há sempre a possibilidade de não dizer nada.
    PERCEBEU AGORA? | 27.10.2011 | 14.10Hver comentário denunciado
  • Realmente há pessoas que não vêem além do imediato. Temos que entender que somos nós os "culpados" do que está a acontecer, tirar daqui alguma lição e mudar de vida.
    Rui Gomes | 27.10.2011 | 13.03Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Não percebo nada disto. Senhor economista (ou apenas licenciado), diga ao povo o que e como fazer perante a crise que se avizinha! Peço-lhe, apenas, uma única dica. Não sabe, pois não! Nem eu.
    SISSI | 27.10.2011 | 11.30Hver comentário denunciado
  • Portanto, tudo o que nos está a acontecer de malé para nosso ... bem! Ò César, tenha tino no que escreve. Já chega de desculpar as causas (e os causadores) de toda esta porcaria e de nos chamar burros!
    Albicastro | 27.10.2011 | 09.26Hver comentário denunciado
  • Caro JCN . . . ! Tanta conversa . . . ! Para dizer que . . . ! Existem "malguinhas" . . . ! Com "água benta" . . . ! E com "diabinhos" democráticos . . . ! ! !
    alexandre barreira | 27.10.2011 | 07.19Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE