COLUNA VERTICAL

Fim da inocência

27 | 05 | 2015   00.20H
José Luís Seixas

Há muito que ultrapassámos a inocência. Ninguém acredita na versão do desvario adolescente de Maria Luís entusiasmada pela presença de tantos jovens sequiosos de absorverem os seus propalados êxitos. 

A ministra das Finanças prenuncia um novo corte das pensões em pagamento. Ponto! Nada de realmente novo ou surpreendente. Os contribuintes portugueses constatam a sofreguidão e voracidade fiscais ímpares que se abatem sobre eles e sobre as suas famílias. 

Sem qualquer retorno palpável, atenta a deterioração de todos – todos – os serviços públicos. A começar pela Justiça num estado absolutamente caótico, capturada pelas corporações e pelas lutas intestinas de poder, indiferente aos cidadãos, às suas necessidades e aos seus direitos. 

Atente-se na leviandade como se aborda o eventual regresso do imposto sobre as grandes fortunas (cuja qualificação quantitativa varia assustadoramente), ou a ressurreição do imposto sucessório (dependente do valor do acervo hereditário cuja fixação, conhecimento de experiência feito, variará ao ritmo da necessidade da cobertura do défice), ou o aumento do IRC, ou a perda de bonificações, etc. 

Todos já percebemos que, de ambos os lados da contenda, se procura o reequilíbrio financeiro só através da receita fiscal e nunca pela redução da crescente despesa primária do Estado. As fundações, institutos, assessorias, outsourcings milionários, dispêndios injustificados e fundados num insuportável amiguismo persistem como carraças que não abandonam a presa até lhe sugarem todo o sangue. 

Perante este espectáculo o investidor teme o futuro e resguarda o seu pecúlio para outros dias ou outras latitudes. Incertezas a mais para um período histórico. Excessivas angústias para os cidadãos, quando tudo decorre de lideranças de uma presunção proporcional à sua impreparação. 

Enfim, resta o sol e o calor. E mesmo estes não estão seguros.
O autor opta por escrever de acordo com a antiga caligrafia

© Destak
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE