HORA BOLAS

Incapaz do capaz

07 | 11 | 2016   21.25H
João Malheiro
O rapaz escreveu numa qualquer rede social. Parece que o rapaz se chama Nuno. E não só parece, o rapaz é mesmo neto do presidente do FC Porto. Escreveu «ódio eterno, venham eles». Só isso? O rapaz também exibiu «toda a merda é Benfica». O rapaz, para uns tantos papalvos, até pode ser considerado um ás. O rapaz, para os muitos sensatos, só pode ser considerado um incapaz. Capaz de publicar barbaridades, o rapaz até pode ser tenaz, mas não deixa de ser ferrabrás. Conheço muitos rapazes que aprenderam ou aprendem com os avós conceitos para uma vida modelada pela educação, retidão, consideração. Alguns outros rapazes, felizmente poucos, aprendem com os avós aquilo que só merece contestação, denegação, comiseração. O rapaz projetou o cartaz. Um FC Porto- Benfica é sempre vivaz, mesmo que fosse a meio-gás, com interesse menor na aritmética competitiva ou na ilusão eficaz. Não foi o caso do embate que se disputou no pretérito domingo. O rapaz só pode ter aziado com os seus fãs. Pela escrita acontece, tantas vezes, a desdita. O rapaz, como qualquer capataz de uma causa ordinária, deve ter perdido a paz. O Benfica empatou o jogo com os seus jogadores (inclusive numa equipa amputada de pedras fundamentais) a provarem que não tiveram o intestino ligado aos pés, à cabeça, mais ainda ao coração. E nas bancadas do Dragão, centenas de trajados a vermelho, não se borraram, antes exultaram com uma formação tricampeã, agora mais sólida na conquista do tetra. Contra a provocação e a treta. E o rapaz? Incapaz do capaz e capaz do incapaz. Claro que não passa de um rapaz. Mas coisas há que são más. O neto do presidente do FC Porto, mesmo rapaz, merece reprovação. Já o avô merece mais do que isso. Se reprovação é pouco, terá conquistado mais alguns pontos de aversão.
© Destak
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE