OPINIÃO

Manuel Castells e as cidades inteligentes

13 | 12 | 2016   22.47H
Eduardo Vítor Rodrigues (Presidente da Câmara de V. N. Gaia)
Cidades inteligentes, tecnologias da informação e da comunicação, redes de partilha, economia colaborativa, redes globais, sociedade do conhecimento são algumas das palavras-chave que preencheram a conferência que o professor da Universidade de Berkeley, nos Estados Unidos, e um dos pensadores mais citados do mundo, Manuel Castells, nos trouxe no passado sábado a Vila Nova de Gaia, perante um auditório numeroso e curioso acerca do que o professor tinha para dizer. Subordinada ao tema: «Uma cidade inteligente num mundo global e em rede», a conferência do professor Manuel Castells integrou a terceira edição das Conferências de Gaia, que se têm dedicado a debater o presente e o futuro, na perspetiva das cidades, questionando o papel da região Norte de Portugal no contexto da Europa globalizada. Manuel Castells chamou a atenção para os efeitos que a tecnologia e a internet têm numa nova organização planetária da sociedade que se carateriza por nos ligar a todos numa rede global de partilha em que adquirimos o poder de ser e estar em permanente comunicação com os outros. Por sinal, a política tradicional enfrenta uma crise de representatividade, uma vez que os cidadãos são capazes de criar e gerir movimentos sociais espontâneos que se caracterizam por não terem uma liderança objetiva. A exemplo do que aconteceu em diversos países do mundo com os movimentos relacionados com a Primavera Árabe. Os desafios colocados à gestão das cidades são, assim, múltiplos e incitam a novas formas de organização política. As autarquias têm, nesta nova organização mundial, um papel essencial que passa pela proximidade e pela colaboração com as pessoas, num processo que deve atrair conhecimento e inteligência.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE