OPINIÃO

Esperança

24 | 01 | 2017   22.18H
Eduardo Vítor Rodrigues (Presidente da Câmara de V. N. Gaia)
Num mundo que nos convida ao pessimismo, a esperança é uma motivação para que nos orientemos pela vontade de contrariar os cenários mais negros, aplicando-nos, pelo trabalho e pelas nossas ações, na construção de um mundo melhor. A força das ideias, a determinação com que as defendamos, é a única arma de que dispomos contra as profecias dos arautos da desgraça. Se nos focarmos no bem comum, no presente e no futuro, se ambicionarmos a paz e o desenvolvimento sustentável da humanidade, se soubermos rebater os caminhos que possam desviar-nos destes objetivos, se nos unirmos... iremos conseguir! É, por isso, fundamental não nos tornarmos aliados do pessimismo. O futuro depende mais das nossas ações positivas, do nosso desejo de mudar o mundo para melhor, de construirmos um planeta mais equilibrado e uma humanidade mais justa, do que dos anúncios de catástrofe que os velhos do Restelo propagam insistentemente. É verdade que, por vezes, acontecem retrocessos que nos fazem recear o pior e nos roubam a esperança. Quantas vezes nos parece que teremos que recomeçar do zero, a voltar a fazer tudo de novo? Quantas vezes o desalento se apodera de nós e a esperança nos abandona? Mas é nestes momentos que devemos ser mais fortes e determinados; que os nossos ideais devem iluminar- nos redobradamente e que a nossa vontade e capacidade de trabalho devem ser convocadas sem hesitação! A grande maioria de nós tem esperança num mundo melhor. A grande maioria de nós é, por isso mesmo, uma maioria positiva capaz de enormes realizações e de capacidade de moldar o futuro. Não ignoremos os avisos alarmistas dos que seguem o pessimismo como forma de estar na vida. Mas são só avisos… Alertas que devem unir- nos e sustentar com esperança a nossa ação na vida, em prol das nossas comunidades e da grande comunidade que designamos por Humanidade.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE