OPINIÃO

Para a Academia e em força

25 | 01 | 2017   23.58H
Lídia Paralta | destak@destak.pt
Com a época irremediavelmente perdida após o empate no Funchal, o Sporting já arruma a casa. E bem. O balneário leonino não será o lugar mais leve de momento e dificilmente os reforços que até agora não renderam vão desatar a ser decisivos, pelo que mais vale poupar uns salários, fazer uns encaixes e, mais importante até, dar oportunidade à prata da casa que anda a dar boa conta de si pelos clubes da 1ª Liga. O Hull City de Marco Silva ficou com Markovic (provavelmente a maior desilusão da época), Meli vai voltar à Argentina e André e Elias estão perto de regressar ao Brasil. Petrovic terá mercado na Turquia. Em sentido contrário, estão de regresso Palhinha, que até já jogou na última jornada, e os leões estão a negociar também a revogação do empréstimo de Francisco Geraldes e Daniel Podence, que têm sido essenciais para o Moreirense nesta primeira metade do campeonato. É muitas vezes nas alturas de crise que as pérolas se mostram. Depois da desastrosa temporada de 2012/13 (a tal em que o Sporting terminou o campeonato em 7º), foi preciso limpar a casa. E com pouco dinheiro nos cofres, Leonardo Jardim teve tempo e espaço para apostar num tal de William Carvalho, que rapidamente se tornou no jogador mais influente da equipa. A temporada 2016/17 do Sporting não terá títulos, mas ainda há importantes objetivos. Nomeadamente acabar o campeonato num lugar que dê acesso à Liga dos Campeões, essencial para as finanças. E ninguém terá mais motivação para o tentar do que os miúdos “made in Alcochete”.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE