OPINIÃO

Momento histórico para Gaia e região

07 | 02 | 2017   22.11H
Eduardo Vítor Rodrigues (Presidente da Câmara de V. N. Gaia)
O anúncio da expansão do metro representou um momento histórico para Gaia, para a Área Metropolitana, para a região e para o País. Na verdade, com esta decisão acaba-se com a ideia de que o processo de infraestruturação do País tinha terminado porque estava tudo feito; nos últimos anos, à custa de uma retórica suportada na ausência de recursos financeiros, o País assistiu a uma degradação do investimento público para níveis insustentáveis. Os investimentos públicos inteligentes são fatores de desenvolvimento sustentável do País, continuando a fazer sentido face às lacunas que ainda existem. A expansão da linha de Metro é um excelente exemplo de um investimento sustentável e de coesão territorial. Fazendo parte de um plano mais alargado na esfera da mobilidade metropolitana, este projeto é nuclear no reforço dos fatores de desenvolvimento das duas cidades onde se concentra o maior número de habitantes e, também, da região. De facto, a retoma do investimento na rede de metro do Porto, instrumento de coesão territorial que tem transportado milhões de passageiros, cerzindo este território central metropolitano, é absolutamente fundamental numa região que se pretende cada vez mais competitiva. Para Vila Nova de Gaia, é igualmente histórico. Servido por uma única linha, com uma extensão de cerca de 2,5 km, o concelho, com mais de 300 mil habitantes e com caraterísticas policêntricas, há muito necessitava da extensão da Linha Amarela. Sempre assumi esse compromisso, por se tratar de um projeto que serve milhares de pessoas e ajuda à sustentabilidade da empresa, e por entender que o desenvolvimento do concelho no contexto metropolitano passa por assegurar, para já, a ligação da Linha Amarela a Laborim, ao Hospital de Gaia e a Vila D’Este.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE