OPINIÃO

Dia Internacional da Mulher

07 | 03 | 2017   21.56H
Eduardo Vítor Rodrigues (Presidente da Câmara de V. N. Gaia)
Hoje comemora-se o Dia Internacional da Mulher. Para quem tiver dúvidas sobre a necessidade deste dia que alerta a opinião pública para as discriminações e para as violações de Direitos Humanos que incidem especialmente sobre as mulheres, recomendo uma visita à página da Organização das Nações Unidas www.unwomen.org. Esta página (que, infelizmente, não tem versão em língua portuguesa) demonstra bem o que ainda falta fazer para que a igualdade entre homens e mulheres se concretize. Mais por perto, recomendo a entrevista à Agência Lusa da presidente da Comissão de Cidadania e Igualdade de Género (CIG), Joana Gíria, na qual denuncia que «embora em Portugal as mulheres detenham, na atualidade, mais qualificações (licenciatura, mestrado, doutoramento) e, consequentemente, a qualificação adequada para o exercício de cargos de chefia e de topo, continuam a ser os homens a ocupar predominantemente tais cargos». Permitam-me que, pelo exemplo do Município de Gaia, que tenho a honra de presidir, transmita uma mensagem positiva neste dia: como resultado de um processo transparente de concurso público, a esmagadora maioria dos cargos dirigentes da Câmara de Gaia são, desde 2015, ocupados por mulheres. As quatro direções municipais de Gaia são lideradas por mulheres altamente qualificadas e competentes. E mais de dois terços dos restantes cargos intermédios de chefia são, também, ocupados por mulheres. Ou seja, se o processo de recrutamento for justo e transparente, as mulheres conseguem atingir os mais elevados cargos dirigentes. E fazem-no, claramente, pela sua competência. Para que isto pudesse acontecer, foi preciso lutar pelos direitos das mulheres e pelo fim da discriminação de género. Por isso é importante que nos lembremos do significado deste dia especial.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE