OPINIÃO

Eles acreditam (mas só mais quatro anos)

08 | 03 | 2017   22.20H
Lídia Paralta | destak@destak.pt
Que Pedro Madeira Rodrigues pudesse derrotar Bruno de Carvalho, pouca gente esperaria. Mas também, nas últimas semanas de campanha, só mesmo os indefectíveis de Bruno de Carvalho apontavam para uma vitória esmagadora do presidente do Sporting nas eleições que lhe poderiam dar mais quatro anos à frente dos leões. Pois bem, a vitória de Bruno foi mesmo esmagadora e por uma diferença (86,13%/9,49%) quase impensável face à campanha agressiva e, agora vemos, demasiado otimista de Madeira Rodrigues. Face a um candidato que se apresentou como o anti-Bruno de Carvalho - mas que no final jogou com as mesmas cartas do rival -, o líder leonino acabou por beneficiar da vontade dos sportinguistas na manutenção de um projeto ambicioso, que teve o seu momento mais arrojado com a contratação de Jorge Jesus. E o erro de Madeira Rodrigues foi mesmo esse: não saber reconhecer que os adeptos do Sporting criticam Jesus, mas que também sabem que, provavelmente, não haverá outro treinador com a sua capacidade de tornar o Sporting campeão. Muito menos Juande Ramos, que já teve os seus momentos em meados da década passada, mas cujas últimas experiências redundaram em fracasso. Bruno tinha outras coisas a seu favor: é um facto que o plantel nunca foi tão caro, mas ao mesmo tempo o presidente leonino foi o primeiro a levar a sério a reestruturação financeira do clube. Aos poucos, e porque a empreitada é imensa, Bruno está a tentar controlar o passivo e os sportinguistas reconheceram esse trabalho. Mas estes quatro anos serão decisivos: o Sporting precisa de ganhar e caso isso não aconteça no próximo mandato, dificilmente Bruno de Carvalho terá novo voto de confiança dos sócios.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE