COLUNA VERTICAL

O sol brilha. Por enquanto…

23 | 05 | 2017   22.59H
José Luís Seixas
Este êxtase nacional que que tomou conta do País e de todo o espaço comunicacional, alcandorando o País a um estado de felicidade colectiva como há muito se não via, tem descurado muitas e sérias preocupações. Continuamos a sofrer dessa estranha esquizofrenia que teima em consolidar-se como idiossincrasia nacional. Ou somos os piores ou os melhores. Ou nos sentimos miseráveis, esmagados pelo mundo adverso e impiedoso, ou nos assumimos como a chama que alumia o futuro dos povos. Ou somos o cantinho da Europa ou a sua vanguarda. E por aí adiante. Não tendo sustentação a nossa faceta miserável, tão pouco é fundamentada esta onda de entusiasmo nacional, habilmente explorada por António Costa. O país não está assim tão bem, as finanças não estão assim tão robustas, a economia aproveita momentos de oportunidade, desde a instabilidade dos destinos turísticos alternativos até à entrada em catadupa de fundos comunitários que se não repetirão, a justiça continua caótica e já sem remição e a governação em geral atende mais aos arranjos do momento do que se afadiga em debater e construir desígnios do futuro. Mas sempre fomos assim. Navegando à bolina, sem um rumo colectivamente assumido, aproveitando momentos de sorte ou chorando o infortúnio. É esta a nossa sina. Lamento dizê-lo. Ou recordá-lo. O Autor escreve segundo a antiga ortografia.
© Destak
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE