INSTANTES

Como é a vida

29 | 05 | 2017   23.14H
Luisa Castel-Branco

A vida é como uma roda. Daquelas rodas que havia na feira que rodavam e batiam com as palhetas e faziam um som peculiar. E nós pregados ao chão de pó e pedras, a música que vinha do palanque que a qualquer momento podia cair - vai andar a roda! Vai andar a roda!

Os catraios de volta dos bolos com erva doce e dos rebuçados, que naquele tempo não havia modernices de farturas, era o que as mulheres faziam em casa e levavam para a venda da igreja.

Havia os tiros nos patos, também eles em metal, mas isso era só para os grandes, os moiços casadoiros que rondavam as piquenas com os olhos - que mais não podiam fazer, que as mães eram falcões - e elas vestidas de ver a Deus e em ânsias por namoro.

A vida é uma roda como a das feirinhas lá da terreola. Umas vezes a roda está para cima e tudo corre de feição. Os dias são doces. Os anos passsam e enchem-nos a cara de sorrisos, o coração de quenturas, o corpo de filhos.

Outras vezes a roda gira para baixo e tudo cai. Caímos nós, caiem os sonhos, o coração fica negro e pesado e a alma teima em se esconder para chorar.

As horas e os dias e os anos arrastam-se como bichos nojentos que rastejam. Vivemos de recordações ou negamos o que foi por não suportar a felicidade que um dia conhecemos.

A vida é uma roda que gira e gira e gira e não faz sentido tentar adivinhar onde vai parar. “É hoje que eu vou ganhar a minha boneca”, pensa a miúda a conter a respiração, os cabelos colados à testa que está calor ali, com as sardinhas a assar e as febras em brasa.

Vivemos a maior parte da nossa vida à espera. Que a roda pare no sitio certo. Que a vida nos dê o que sonhamos e às vezes dá mesmo e não era nada daquilo que queríamos.

Não vale a pena tentar adivinhar os desígnios da existência. Não vale a pena fechar os olhos com força e rezar para a roda parar na boneca de porcelana.

As únicas coisas certas na vida são aquelas que mais tememos. A morte que ninguém cá fica, como dizia o padre Alberto ao domingo na missa por detrás da sua barriga que era tão grande que lhe chegava ao queixo.

Não, ninguém cá fica. É a vida. Porque enquanto fazemos o caminho nesta existência, e tememos a morte, a vida vai passando, e tal como a roda não se sabe onde vai parar, quem ganha e quem perde.

Se calhar a menina que não ganhou a boneca de porcelana, mas sorriu para a mãe a dizer "para o ano há mais", tenha descoberto o segredo da existência.

© Destak

10 comentários

  • Que o Senhor esteja contigo, querido POIS POIS J PIMENTA A DINAMICA DE SEMPRE.
    INÊS | 22.06.2017 | 14.53Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • A Inês e a Luísa deviam sair à noite juntas e embebedarem-se, para ver se davam umas fodas pra alegrarem um pouco. Assim, não há pachorra para as aturar.
    Pois, pois J. Pimenta! A dinâmica de sempre. | 19.06.2017 | 11.23Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Tenham um boa dia, meus queridos.
    INÊS | 18.06.2017 | 06.49Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • A vida é como uma foda. Daquelas fodas que davamos na feira e que fodiamos e batia-mos punhetas, e os colhoes a baterem na cona faziam um som espectacular. E nós a fodermos no chão e a cheirar pó e cuma puta duma pedra, a música vinha do palanque e a qualquer momento eu podia-me vir - vai foder vaca! Vai foder vaca! Os olhoes de volta da cona e nos a fumarmos erva, que naquele tempo não havia modernices de cheirar linhas, as mulheres so fodiam em casa e levavam no cu atras da igreja. Havia os patos, também eles tinham a maniam que eram heavy metal, mas isso era só para os grandes filhos da puta, os morcoes casadoiros que rondavam as piquenas so as levavam a passear - que mais não podiam foder, que as mães eram umas putefias sempre a ver - e elas vestidas a putas e em ânsias por foder. A vida é uma foda como a das freirinhas lá da terreola. Umas vezes a foda e em cima e tudo corre de feição. Os dias são uma merda. Depois de nos comerem o anus enchem-nos a cara de esporra, o cu de queimaduras, e o corpo de filhos. Outras vezes a foda e em baixo e tudo cai. Caímos nós, cai a pissa, o cu fica negro e pesado e a cona teima em se esconder para chorar. HA horas e dias em que o anus arrasta-se e os colhoes aparecem como bichos nojentos que rastejam. Vivemos de fodas ou negamos o que foi foder e felicidade que um dia conhecemos de tanto foder. A vida é uma foda e gira e gira e gira e não faz sentido tentar adivinhar onde vai foder. “É hoje que eu vou ganhar a minha piroca”, pensa a miúda a conter a respiração, os cabelos da cona colados à testa que está calor ali, com as sardinhas a assar e a cona em brasa. Vivemos a maior parte da nossa vida à espera de foder. Que a foda seja no sitio certo. Que a vida nos dê a foda o que sonhamos e às vezes dá mesmo e não era a foda que queríamos. vale a pena tentar foder os vizinhos . Não vale a pena fechar os olhos ao levar na cona e rezar para que ele foda sem parar na cona de porcelana. As únicas coisas certas na vida são foder A morte que ninguém cá fica depois de foder , como dizia o padre Alberto ao domingo na missa por detrás da sua barriga que era tão grande que lhe chegava ao queixo, beatas, toca a baixar a cueca e vamos para tras da igreja. Siga. Andor suas vacas. Não, ninguém cá fica. É a vida. Porque enquanto fazemos o caminho nesta existência, e tememos a morte, a vida vai passando, e tal como a roda não se sabe onde vai parar, quem ganha e quem perde. Se calhar a menina que não ganhou a boneca de porcelana, mas sorriu para a mãe a dizer "para o ano há mais", tenha descoberto o segredo da existência.
    anticristo | 15.06.2017 | 21.23Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • É verdade. Depois que a parelha PSD-CDS-PP saiu do governo, a velha deu o badagaio....!!!!
    GILLETT | 13.06.2017 | 14.07Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Depois do paulinho a ter abandonado, a velha ficou xé-xé....!!!!
    FROZEN | 10.06.2017 | 10.42Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Mas há um ano, ela não tinha dito que estava doente e ia morrer, e por isso, era melhor que as pessoas comprassem um livro que ela tinha escrito?... Nunca mais morre?... Quando é que ela compra um vidrador, a ver se ela fica mais alegre?
    Pois, pois J. Pimenta! A dinâmica de sempre. | 02.06.2017 | 13.05Hver comentário denunciado
  • Eu sou vida e que me seguir viverá eternamente. (Isaías 67/542)
    INÊS | 31.05.2017 | 20.29Hver comentário denunciado
  • Ai, ai Luisinha . . . ! A coisa está mesmo mal . . . ! Olhe linda, o melhor é . . . ! Tratar da "malguinha" . . . ! Enquanto é tempo . . . ! ! !
    Alexandre Barreira | 30.05.2017 | 19.54Hver comentário denunciado
  • A belha bateu a bola... Não há paxorra para tanta asneirada...
    Anónimo | 30.05.2017 | 12.41Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE