OPINIÃO

Nova época, o mesmo caminho?

19 | 07 | 2017   23.21H
Lídia Paralta | destak@destak.pt
Olho para o novo plantel do Sporting e questiono-me: será que ninguém aprendeu nada com a última época? Depois de uma temporada de contratações tão sonantes quanto falhadas (safou-se Bas Dost e, de certa maneira, Alan Ruiz e Beto), o caminho para 2017/18 não parece muito diferente. Entre as janelas de janeiro e o verão, os leões livraram-se de grande parte dos tiros no pé do último defeso: devolveram Markovic e Joel Campbell a Inglaterra, Elias e André voltaram ao Brasil, Melli à Argentina, faltando ainda resolver alguns casos pontuais, como o do avançado holandês Luc Castaignos, 436 minutos e zero golos na última época, ainda com futuro indefinido. Este ano há mais: entre compras e empréstimos, chegaram, por exemplo, Jérémy Mathieu, Piccini, Fábio Coentrão e Doumbia, jogadores de nome, mas muito longe dos melhores momentos da carreira. Um pouco como na última época. E se uma pré-temporada é uma pré-temporada, ou seja, ainda não estamos a falar de jogos ditos a sério, a verdade é que para já não há muito de bom a dizer dos novos recrutas. Mathieu e Coentrão chegam após um ano pejado de lesões e fisicamente ainda estão muito aquém do necessário. Entre as derrotas que o Sporting vai acumulando, os melhores têm sido homens da casa, nomeadamente Podence, a reclamar um lugar de destaque na rotação de Jorge Jesus para a próxima época. Jesus que deve estar a suspirar pelo regresso de Rui Patrício, Gelson, William Carvalho e do capitão Adrien.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE