OPINIÃO

Começar com o pé esquerdo

18 | 10 | 2017   23.17H
Lídia Paralta | destak@destak.pt

Na modesta opinião desta vossa escriba, um dos maiores problemas de vivermos num mundo cheio de física é o movimento de rotação da Terra, o mesmo que faz com que haja fusos horários e, consequentemente, seja bastante complicado a um comum cidadão, com horário das 9h às 17h, acompanhar a NBA.

A nova temporada arrancou na madrugada de terça para quarta-feira com um Cleveland Cavaliers e Boston Celtics, as duas melhores equipas da Conferência Este no último ano, uma rivalidade apimentada pela passagem de Kyrie Irving de Cleveland para Boston, no último defeso. Mas logo ao primeiro jogo, aliás, logo nos primeiros cinco minutos, aconteceu um azar que irá muito provavelmente condicionar aquilo que será a história desta época: Gordon Hayward, outra contratação-estrela dos Celtics, virou literalmente o pé esquerdo para um sítio em que normalmente os pés não chegam, a não ser que se tenha deslocado o tornozelo. E normalmente quando tal acontece, não se pode jogar durante longos períodos.

Antes dos Celtics ficarem coxos para a época inteira e a luta com os Cavs pela coroa no Este tenha muito provavelmente de esperar mais um ano, num treino dos Chicago Bulls, um rapaz chamado Bobby Portis deu um par de murros na cara de Nikola Mirotic, que foi parar a uma mesa de operações com vários ossos faciais partidos.

Não foi, portanto, o arranque de época que um fã mais deseja. Mesmo que os campeões Warriors, em quem toda a gente aposta para repetir o título, tenham perdido com os Rockets, a prova que, afinal, a temporada pode ser mais interessante do que estávamos à espera.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE