OPINIÃO

As complicadas contas da Europa

01 | 11 | 2017   22.35H
Lídia Paralta | destak@destak.pt
Escrevo este texto ainda antes de saber o que vai fazer o FC Porto frente ao RB Leipzig mas as contas não são difíceis de fazer: caso o caro leitor pegue neste texto depois de uma vitória do FC Porto, a qualificação para a fase seguinte está bastante mais próxima. Se não foi assim que acabou o jogo já haverá muitas contas para fazer. De qualquer forma, os dragões serão sempre a equipa que, ao final da quarta jornada, tem mais hipóteses de passar aos oitavos-de-final. Ao Sporting, depois do golo de Higuaín na noite de terça-feira - que tornou mais uma boa exibição dos leões na Champions frente a um colosso em mais um empate - restará ganhar ao Olympiacos e fazer o possível em Camp Nou. Isso, na verdade, só deverá assegurar um lugar na Liga Europa, ainda assim melhor que a desastrosa participação do último ano e logo num grupo complicadíssimo, com Juventus e Barcelona. Já o Benfica, num grupo bem acessível, continua a somar derrotas e só mesmo um milagre, um qualquer alinhamento dos astros ou um episódio esotérico que só o além poderá explicar permitirá aos encarnados continuar na Europa. Uma desilusão a todos os níveis e que, quer se queira quer não, marca a participação portuguesa nesta edição da Champions. Tal como Jorge Jesus parece entretanto ter feito, também Rui Vitória terá de refletir sobre o que aconteceu. Caso FC Porto e Sporting também falhem nas próximas jornadas, o caso será mesmo para meter as mãos à cabeça, com todo o prejuízo em sede de ranking da UEFA para Portugal. Até porque estamos a cair frente a adversários da Rússia, Suíça ou Turquia, a quem devemos ganhar.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE