OPINIÃO

Desde 1887

20 | 12 | 2017   23.27H
Duarte Cordeiro (Vice-Presidente da Câmara de Lisboa)
O Mercado de Santa Clara, construído em 1887, é o mais antigo mercado coberto da cidade de Lisboa. Projetado pelo arquiteto Emiliano Augusto, é um dos exemplos da arquitetura do ferro e vidro do final do séc. XIX. Fica localizado no Campo de Santana, cuja história remonta ao tempo de D. Afonso Henriques como local escolhido para o acampamento das suas tropas na conquista de Lisboa, em 1147. Nas imediações, além da realização da feira da ladra, todas as terças-feiras e sábados, encontramos alguns dos principais monumentos da cidade, como a Igreja de Santa Engrácia (Panteão Nacional), de 1682; a Igreja São Vicente de Fora, de 1629, ou o Jardim Botto Machado, de 1862. Atualmente, este lugar convive com o magnífico mural do André Saraiva, com cerca de 53 mil azulejos ao longo do muro do Jardim Botto Machado, que simbolizam a Lisboa contemporânea e que permite o contraste da tradição com a modernidade. A Câmara Municipal de Lisboa, em parceria com a Trienal de Arquitectura de Lisboa, promoveu agora um concurso de ideias para a renovação e adaptação do Mercado de Santa Clara a novos usos, pretendendo dar uma nova vida ao mercado mais antigo da cidade e envolver os criativos na criação de um espaço que faltava a Lisboa. O desafio lançado aos arquitetos foi pensarem no espaço da nave central do mercado para ser, simultaneamente, um showroom do melhor design made of lisboa e um pólo de criatividade cultural e gastronómica, interagindo com outros espaços municipais de experimentação e incubação cultural, como o renovado Mercado do Bairro Alto, o Pólo das Gaivotas, o Centro de Inovação da Mouraria e o Fablab Lisboa. O novo Mercado de Santa Clara, que terá programação a cargo do Clube de Criativos de Portugal, será um espaço icónico da cidade, num lugar repleto de história.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE