HORA BOLAS

Quero Vitória(s)

21 | 01 | 2018   23.24H
João Malheiro

Li, li mesmo. Também todos puderam ler, não sei é se chegaram à mesma conclusão. Presumo que não, tenho a convicção que não. Foi numa edição recente de um semanário da nossa praça. A notícia (?), ilustrada com uma fotografia minha, a dada altura reza que “antes do Benfica-Sporting, João Malheiro era um dos mais ativos benfiquistas a criticar o treinador Rui Vitória”. Assim, assim mesmo.

Transporto muitos anos de jornalismo e de comentários desportivo, Entre outros registos, em tantos órgãos de comunicação e na minha produção literária. Como é possível, à luz dos mais elementares preceitos do rigor informativo, fazer um juízo substantivo, valorativo, sem questionar a pessoa em causa? Foi o que aconteceu, ninguém desse jornal me procurou. Das duas, duas: ou o escriba (o texto é covardemente anónimo) nem sequer é um aprendiz de jornalismo ou o texto foi encomendado (reforço, encomendado) por gente reles e desprezível que pretende colocar benfiquistas contra mim, decerto pelas posições críticas, no domínio da comunicação do meu clube, a que tenho dado pública expressão.

Claro que já enviei uma carta registada ao diretor do semanário em causa. Não a reproduzo, por ora, justamente porque honro a minha palavra e honro a seriedade da informação, que aprendi com grandes mestres dessas disciplinas tão estimáveis que são a Justiça e o Jornalismo. Uma certeza: até no plano judicial estou preparado para esgrimir argumentos, sempre na defesa da verdade e só da verdade, sempre na defesa da amizade e só da amizade, sempre na defesa do Benfica e só do Benfica.

Uma nota adicional, à qual reputo a maior importância: logo depois da saída da notícia (?), falei com o Rui Vitória. Ele sabe que sempre o apoiei, ele entende que falo com a verdade dos honrados, com a concisão dos agradecidos.

© Destak
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE