OPINIÃO

O desafio da demografia

24 | 01 | 2018   23.54H
Duarte Cordeiro (Vice-Presidente da Câmara de Lisboa)
O Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo, no âmbito da discussão da Estratégia para o Portugal 2030, mostrou preocupação com a demografia da Região de Lisboa e com a tendência de decréscimo populacional. Partilho as preocupações e considero que devemos ser mais agressivos nas políticas de promoção da natalidade e atração de população estrangeira. Lisboa tem hoje uma importante rede de conhecimento, suportada por cerca de 100 instituições de ensino superior, mais de 130 mil estudantes, 15 mil investigadores e uma população de 18 mil estudantes estrangeiros. Sentimos hoje a reversão da tendência da emigração de jovens qualificados, que durante o período da crise financeira saíram do nosso país à procura de melhores oportunidades no estrangeiro. Sentimos, igualmente, o reforço da atratividade de Lisboa como destino para estudar ou trabalhar. Mas devemos ir mais longe, facilitando a entrada de estrangeiros para a realização de ciclos de estudos superiores completos. Portugal é uma referência mundial no acolhimento a estrangeiros e devemos intensificar essa orientação, posicionando-nos, por exemplo, como o melhor país do mundo para um jovem estrangeiro estudar e viver. O crescimento da nossa população, em Lisboa e no país, vai depender muito da nossa capacidade de reter e atrair talento – nacional e estrangeiro. Será, para isso, essencial promover empregos de qualidade, habitação acessível e uma boa rede de creches (até nas universidades), para além do reforço das políticas de conciliação da vida profissional e familiar. Pois para atrair empresas estrangeiras e criar empregos de qualidade devemos ter população jovem que procure o nosso país para estudar e viver.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE