OPINIÃO

Uma cimeira confiante

21 | 03 | 2018   23.00H
Duarte Cordeiro (Vice-Presidente da Câmara de Lisboa)

As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto organizaram, esta terça-feira, a sua primeira cimeira conjunta, que se revestiu de uma enorme importância simbólica e estratégica. Estas duas áreas metropolitanas representam mais de 40% da população do país e mais de 50% do PIB nacional, concentram os maiores pólos de conhecimento e inovação do país e grande parte do tecido económico nacional, mas também enormes assimetrias e profundas desigualdades. Quando comparamos as duas áreas metropolitanas com outras regiões europeias, identificamos desafios em matérias centrais na vida das pessoas – o crescimento económico e as oportunidades que surgem não estão a beneficiar todos por igual e responder a estes desafios implica encontrar soluções conjuntas. A cimeira, que contou com o Presidente da República na sua abertura e com o Primeiro-Ministro na reunião de trabalho, assumiu como prioridades a melhoria da mobilidade e do acesso a uma habitação digna e a serviços públicos de qualidade. Para os próximos meses de trabalho, foram também lançados alguns reptos: (i) criar passes metropolitanos de transporte únicos, com preços mais reduzidos, deixando de considerar a distância no acréscimo do preço; (ii) reforçar os transportes públicos existentes e criar novas soluções para o transporte pesado; (iii) aumentar a oferta de habitação acessível, acrescentando soluções fiscais aos municípios para promoção do arrendamento e (iv) transferir para os municípios a responsabilidade sobre os centros de saúde e escolas, com meios adequados para uma efetiva melhoria do serviço. Esta foi a primeira de muitas cimeiras. Ficou o sentimento de que há muito trabalho pela frente mas que, finalmente, serão possíveis avanços significativos nestes domínios.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE