COLUNA VERTICAL

O grande Centeno

17 | 04 | 2018   22.54H
José Luís Seixas

O doce embalo das reiteradas declarações de Centeno – astro cintilante do novo firmamento político português – enche-nos o coração de esperança e o peito de garbo. “Somos todos Centeno”, exclamam ministros desautorizados, tentando mitigar os efeitos da censura financeira com que a estrela fulgente vai controlando o défice e reduzindo a dívida. Observá-lo nas reuniões do Eurogrupo distribuindo sorrisos e mãozadas aos senhores do dinheiro europeu, com a graciosidade de um pássaro pousando em cada galho, restaura-nos a honra patriótica e impele-nos a, no mínimo, sibilar A Portuguesa. Quem o viu, no seu debute parlamentar, desenhando aquele tímido sorriso de miúdo acossado e o vê agora enfrentando os deputados sem dissimular enfado perante tamanha ignorância que só lhe queima tempo e esgota a paciência… Enfim, isto de ser Senhor na Europa não é para qualquer um e devia impor alguma distância e outro respeito! O certo é que o milagre das contas públicas é bem relativo, a taxa de crescimento está na mediana europeia, as cativações vão degradando serviços e respostas públicas e a população queixa-se. Os ministros parece que pouco podem porque as Finanças em tudo mandam. Porém a criatividade portuguesa encontrou outro meio para convencer Centeno de que a austeridade, até a disfarçada, tem limites. O escândalo público. Veja-se a rapidez como foram libertadas as verbas para as obras na Ponte sobre o Tejo ou na ala pediátrica do Hospital de S. João. Uma boa denúncia e descativa-se o cativado. Não vão os portugueses desconfiar das façanhas de Centeno em ano pré-eleitoral…!

O autor escreve segundo a antiga ortografia.

© Destak
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE