OPINIÃO

Bandeira da Ética

07 | 06 | 2018   02.21H
Duarte Cordeiro (Vice-Presidente da Câmara de Lisboa)
A Bandeira da Ética, um projeto do Instituto Português do Desporto e da Juventude, integrado no Plano Nacional da Ética no Desporto, pretende certificar os valores éticos das iniciativas desportivas de clubes ou entidades organizadoras de eventos desportivos. Nos últimos anos, o município de Lisboa tem desenvolvido diversas iniciativas de promoção dos valores éticos desportivos. As Olisipíadas, programa da Câmara Municipal de Lisboa, receberam, durante as finais que ocorreram este fim de semana, a Bandeira da Ética como exemplo nacional no domínio da ética desportiva. Este programa, que envolve as 24 Juntas de Freguesia da cidade, tem como objetivos centrais a experimentação e a promoção da prática desportiva junto de crianças de várias idades, de forma a estimular hábitos de vida saudáveis e criar momentos de experimentação nas diferentes modalidades. A edição deste ano atingiu um novo recorde de participação, com 17.500 crianças inscritas, sinal do reconhecimento e impacto que este programa tem nas famílias da nossa cidade. Mas este sucesso só é possível graças ao apoio dos clubes da cidade de Lisboa, das Federações Desportivas, das respetivas Associações Regionais, do Comité Olímpico de Portugal e do Comité Paralímpico de Portugal. Mas o programa estaria incompleto se a estes objetivos não se acrescentasse a dimensão da cidadania, promovendo o desporto com respeito pelo fair-play e com os valores da verdade e da transparência desportiva. Num momento em que assistimos a episódios de violência no desporto, sob diferentes formas, representando péssimos exemplos aos mais novos, são programas como as Olisipíadas que servem de bandeira para afirmação dos valores da ética no desporto.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE