PUBLICIDADE

Transgénicos

13 | 09 | 2007   08.52H
João César das Neves | naohaalmocosgratis@ucp.pt

Os ecologistas conseguiram um dos maiores sucessos culturais do nosso tempo quando, em duas gerações, se passou da ignorância ambiental a uma elevada consciência ecológica. Conseguiram isto através do empenho e dinamismo, mas sempre respeitando um elemento central, a ciência. Agora, que são entidades respeitadas, parecem querer esquecer este aspecto.

Os produtos transgénicos suscitam razoavelmente muitas dúvidas e suspeitas, como é normal em todas as novidades. Por isso não existe produção no mundo mais vigiada e acompanhada cientificamente que a engenharia biológica. As empresas estabelecidas só oferecem esses produtos com todos os cuidados, porque sabem que um efeito nocivo, mesmo pequeno e desprezível, será empolado pela desconfiança geral.

Assim, a teimosia com que alguns grupos ecológicos repudiam os transgénicos, é intelectualmente injustificável. Apesar de todos os testes e seguranças razoáveis, insistem em rejeitar o que muita gente produz e consome sem problemas. Quando interpelados, barafustam e agridem com a mesma bravura dos tempos heróicos. Só que agora as suas razões são baseadas apenas em mitos ou dúvidas hipotéticas, para as quais não conseguem apresentar mais do que conjecturas vagas ou suposições tolas.

Todos os laboratórios sérios e competentes conhecem os perigos, mas garantem a segurança e qualidade do que se está a fazer. Os movimentos ecológicos têm um papel fundamental a desempenhar nesta questão dos transgénicos. Mas apenas se continuarem a usar a ciência como base, sem lançar alarmes injustificados.

© Destak

8 comentários

  • U que tu queres sei eu
    U artigo definido singular masculino
    U sr.bom portugues | 07.02.2008 | 15.33H
  • 19.11.2007 | 10.53Hcomentário reprovado
  • 12.11.2007 | 11.17Hcomentário reprovado
  • Transgénicos são os melhores , para a saúde .. u senhor é q não sabe do que fala .
    Conçeição | 12.11.2007 | 11.15H
  • 17.09.2007 | 18.20Hcomentário reprovado
  • acho q é mto cedo para julgar os efeitos q os trangenicos terao na saude das pessoas q os consomem, se é assim tao seguro pelo menos q seja assinalado nas embalagens de produtos q usem alimentos trangenicos q de facto os usam, para o consumidor escolher... apesar de compreender q é mto tentador para 1 agricultor, etc, usar este tipo de produtos, continuo de perna atras...

    é assim tao diferente alterar a genetica de uma planta para q tenha caracteristicas de outra como alterar o codigo genetico de uma vaca para q a carne tenha sabor a carne de porco, por exemplo?
    eu mesmo | 14.09.2007 | 14.05H
  • Não acreditando que esta sua opinião seja fruto da ignorância vou conter-me para não fazer um comentário insultuoso, mas até era justificado.

    Assim sendo só posso dizer que concordo com o comentário do H.
    Pedro Afonso | 13.09.2007 | 23.07H
  • Após ler a sua coluna, não posso deixar de transmitir o meu desacordo com a opinião que expressa. No que toca ao argumento que levantou das empresas distribuidoras de sementes terem os maiores cuidados não é de todo verdade. As pequenas empresas mundiais detentoras dos direitos de distribuição defendem acerrimamente a sua “propriedade biológica”, mesmo quando os (infelizes) agricultores que (alheios à sua vontade) vêm os seus campos invadidos por estas sementes, ainda levam com um processo judicial em cima por estarem a utilizar sementes sem a licença das empresas. No que toca aos estudos científicos, estes são contraditórios. Enquanto uns argumentam uma total segurança na utilização deste tipo de sementes, vêm outros que dizem precisamente o contrario. Defensor das sementes naturais em detrimento das transgénicas, o facto das sementes transgénicas poderem desequilibrar todo um ecossistema que rodeia esses campos é algo assustador. Para não falar dos efeitos a longo prazo que podem ter na saúde humana.
    Com isto não defendo os movimentos extremistas dos “eco-warriors” mas surge-me algum receio e querer mais informação sobre o impacto que estas sementes tenham. Não creio que por isso seja inteligentemente injustificável.
    Para terminar concluo que se a ciência surge como algo indubitável e detentora da verdade factual, não me parece de todo néscio utilizar os seus argumentos no debate dos transgénicos. Parece-me mais imprudente nãos os utilizar.
    H. | 13.09.2007 | 10.40H
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE