OPINIÃO

“Um fracasso dos homens”

27 | 11 | 2018   17.04H
Eduardo Vítor Rodrigues (Presidente da Câmara de V. N. Gaia)

A sociedade continua a padecer de problemas graves que não se coadunam com os tempos de modernidade e suposta democratização de meios, ajudas e tecnologias que vivemos. Um deles resiste, em todo o mundo, até nas sociedades mais avançadas. A violência doméstica e de género continua a fazer vítimas, demasiadas… Não só do ponto de vista físico, sendo tantas vezes fatal, mas também do ponto de vista psicológico e social.

A 25 de Novembro, Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres, o secretário-geral da ONU lamentou que esta seja uma “pandemia global” e um “sinal de vergonha”. “A violência contra as mulheres é a manifestação de uma profunda falta de respeito, um fracasso dos homens em reconhecer a igualdade das mulheres”, afirmou António Guterres.

O líder da ONU defendeu que é preciso fazer mais “para apoiar as vítimas e responsabilizar os perpetradores”. Ora, este é um trabalho que deve ser feito não só por estas organizações, mas também a nível nacional e local. Na passada semana foi apresentada, em Gaia, a campanha #VamosGanharALutaContraAViolência, promovida pela Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género. Em parceria com várias instituições, apela a que todas as pessoas, não só as vítimas, denunciem situações de violência contra as mulheres.

Também por ocasião desta efeméride, testemunhei a apresentação do livro de uma colega da Universidade do Porto, Isabel Dias. «Violência Doméstica e de Género» pretende ser um guia de conhecimento científico e técnico útil a todos os académicos, investigadores e profissionais que lidam com a violência doméstica e de género nos mais diversos contextos de intervenção.

Estes são mais dois contributos para combater um problema que é global e assume tantas formas distintas. Cabe-nos a todos participar neste difícil combate.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE