OPINIÃO

Bases para a Região de Lisboa crescer

16 | 01 | 2019   20.08H
Duarte Cordeiro (Vice-Presidente da Câmara de Lisboa)

O Governo apresentou o Programa de Investimentos para a próxima década, que levará ao Parlamento com expectativa de aprovação alargada. Do diploma constam um conjunto de projetos estruturantes para a Região de Lisboa, dotada atualmente de enormes constrangimentos ao seu crescimento, muito associados a limitações nas infraestruturas rodoviárias, ferroviárias, portuárias e aeroportuárias que, sem um investimento significativo, vê comprometido o seu desenvolvimento e sustentabilidade. Os projetos anunciados representam a oportunidade e as bases para uma década de crescimento. O anúncio do acordo para a expansão do Aeroporto Humberto Delgado e para o Aeroporto complementar no Montijo implicará um investimento de 1,3 mil milhões de euros, até 2022, e permitirá que a capacidade de passageiros/ano atinja os 50 milhões. O alargamento da rede de Metro em Lisboa, através da conclusão da linha circular, em 2023, garantirá uma melhor distribuição dos passageiros que chegam à cidade nos meios de transporte complementares e reduzirá o tempo de espera para menos de quatro minutos, contribuindo positivamente para a eficiência da rede de transportes públicos da Região e permitindo reduzir o trânsito automóvel na zona central de Lisboa.

Constam também do Programa a expansão da rede do Metro para a zona Ocidental de Lisboa, a Ligação da Linha de Cascais à Linha de Cintura, uma via dedicada de transporte público na A5, a expansão do Metro através de Metro Bus e o alargamento da capacidade e velocidade da Linha do Norte, com o objetivo de fazer a ligação Lisboa - Porto em duas horas. Este programa é determinante para a Região de Lisboa e espera-se que finalmente encontremos o apoio e estabilidade necessários à sua execução.