OPINIÃO

A importância dos jovens num mundo mais sustentável

19 | 03 | 2019   17.42H
Eduardo Vítor Rodrigues (Presidente da Câmara de V. N. Gaia)

Se é incontornável que todos temos de agir, urgentemente, para tentar reverter o mal que temos feito ao nosso planeta, não é menos verdade que está nas mãos nos jovens muito do que podemos fazer e grande parte da mudança de consciências e de comportamentos que tem de ser operada. As questões da ecologia, da sustentabilidade e das alterações climáticas dizem-nos respeito a todos – individualmente, na nossa comunidade e a nível governamental, local, nacional e transnacional –, mas não nego que é nas crianças e nos jovens que deposito uma das minhas maiores esperanças.

Um estudo publicado há dias dá-nos conta da forma como a sustentabilidade afeta profundamente os hábitos de compra da chamada Geração Z: iniciativas de sustentabilidade parecem ser hoje a chave para uma relação mais forte entre as marcas e o público mais jovem. De acordo com a «Pesquisa de Retalho e Sustentabilidade de 2019» da CGS, mais de dois terços dos entrevistados consideram a sustentabilidade ao fazer uma compra e estão dispostos a pagar mais por produtos sustentáveis. Nascida entre 1995 e 2010, e apesar de representar uma força económica crescente, a Geração Z está muito mais consciente dos efeitos ambientais das suas decisões de compra do que outras faixas etárias. Também os Millennials, segundo noticia a Marketeer citando um relatório da Nielsen, parecem seguir esta tendência: três em cada quatro norte-americanos entre os 21 e os 34 anos afirmam que irão mudar “definitivamente” ou “provavelmente” os seus hábitos de consumo de modo a reduzir o respetivo impacto ambiental.

É motivador perceber que a atitude dos jovens já começou a mudar, mais ainda tendo em conta a capacidade e o poder que eles poderão ter na alteração de hábitos dos seus pais e de quem os rodeia.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE