PUBLICIDADE
OPINIÃO

Nunca é tarde de mais para aprender

16 | 04 | 2019   17.41H
Eduardo Vítor Rodrigues (Presidente da Câmara de V. N. Gaia)

Vivemos numa sociedade do conhecimento e, na verdade, aprender é uma capacidade humana inata que, naturalmente, está longe de terminar aquando do último dia formal de aulas na escola secundária ou na universidade. A necessidade que temos de nos adaptarmos ao mundo em nosso redor e ao nosso próprio percurso de vida exige que estejamos sempre a aprender.

Também as atuais exigências do mercado de trabalho lançam desafios intelectuais e técnicos que nos transportam de novo para os bancos da escola, porque não podemos estagnar ou ficar acomodados com o que damos por adquirido. Neste sentido, o Estado deve proporcionar condições e oportunidades para que o indivíduo possa continuar a aprender, a adquirir melhores qualificações e mais formação. Fico, por isso, feliz por saber que mais de 315 mil pessoas já se encontram inscritas no Programa Qualifica nos seus dois anos de execução. Os resultados estão à vista, citando a recente notícia publicada pelo «Jornal de Notícias»: “Nos primeiros dois anos de execução, o programa permitiu que mais de 34 mil pessoas elevassem o seu nível de escolaridade, incluindo-se neste total cerca de 13 mil pessoas que concluíram o 9.º ano através do Qualifica e mais de 21 mil que concluíram o ensino secundário”.

Acredito que a aprendizagem ao longo da vida é um direito universal, pelo que este programa de qualificação, que muito tem feito pela melhoria das competências dos portugueses, é um instrumento fundamental nesse sentido. Vale a pena dizer que nunca é tarde de mais para aprender – a relação entre maiores qualificações e um emprego mais bem remunerado está hoje comprovada, pelo que o aumento da qualidade de vida dos portugueses passa também pelo seu investimento na educação e na formação.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE