PUBLICIDADE
OPINIÃO

“Só a arte é útil”…

23 | 04 | 2019   22.35H
Eduardo Vítor Rodrigues (Presidente da Câmara de V. N. Gaia)

“Só a arte é útil. Crenças, exércitos, impérios, atitudes – tudo isso passa. Só a arte fica, por isso só a arte se vê, porque dura”, afirmava Fernando Pessoa. Desde 2015 que Vila Nova de Gaia se assume como um concelho que investe na arte e nos artistas, na sua divulgação e fruição. Acreditamos que a arte e a cultura nos tornam pessoas melhores. Assim, com a organização da Cooperativa Cultural Artistas de Gaia, arranca hoje a 3.ª Bienal Internacional de Arte Gaia, que se prolongará até 20 de julho na Quinta da Fiação de Lever – uma escolha que pretende dar a conhecer a todos os visitantes lugares menos óbvios, mas que não deixam de marcar a identidade do nosso concelho.

Nesta edição, o evento apresenta mais de 2 mil obras de mais de quinhentos artistas oriundos de 14 nacionalidades diferentes. É um autêntico mergulho na arte e na escultura, ao longo de cerca de 2.600 metros quadrados, organizados em 14 exposições subjacentes às mais diversas temáticas. A Bienal de Gaia é já maior do que ela própria e, por isso, tem-se estendido para fora dos limites do concelho, sendo oito as cidades do país e da Galiza onde pode encontrar polos expositivos.

O diálogo multidisplinar entre a pintura, a escultura e as outras artes e a motivação por causas sociais como a emigração, os refugiados e a paz configuram os princípios subjacentes à sua missão. Nela pode conhecer ou rever as obras de artistas consagrados como Zulmiro de Carvalho, o artista homenageado nesta edição, ou de artistas novos e emergentes, nacionais e internacionais. Uma novidade desta edição é a criação de um serviço educativo que contribuirá para a educação pela arte dos mais jovens. Até 20 de julho, não deixe de fazer uma visita, traga a família e os amigos e aproveite para conhecer novos lugares do mapa de Gaia.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE