PUBLICIDADE
EDITORIAL

Vamos ter saudades dos nossos políticos

19 | 07 | 2010   21.30H
Isabel Stilwell | editorial@destak.pt

O que distingue as crianças dos adultos, dos bem-educados sublinhe-se, é a capacidade de cumprirem tarefas chatas e até desagradáveis sem protestos. É a capacidade de colocarem os interesses comuns, à frente dos seus primeiros impulsos. É perceberem que às vezes custa, mas que vale a pena.

Para que chegassem a este ponto foi preciso muito trabalhinho de pais dedicados e professores abnegados. Gente que teve de traçar objectivos, decidir limites, impor regras, castigar sempre que não eram cumpridos e premiar quando atingidos. Ou seja, que teve de educar, essa tarefa ingrata que a curto prazo dá imensas dores de cabeça, mas que é insubstituível: nenhuma criança aprende sozinha a resistir à frustração e a aceitar que não é o centro do universo.

Nos momentos de desespero os pais têm vontade de desistir. E aí separam-se as águas, entre aqueles que acreditam que educar é também frustrar, e que a criança será a primeira a ganhar com isso, e aqueles que não estão muito seguros de si e balançam entre assomos de autoridade, de vitimização e de permissividade, com resultados desastrosos. Talvez porque confundem autoridade com o autoritarismo de que foram alvos, reabrindo feridas da sua própria infância.

Isto tudo para dizer o quê. Para dizer que não há como passar uma tarde num parque infantil para perceber que há muitos pais que estão metidos numa camisa de onze varas. Não desce do escorrega se não lhe derem um gelado, não atira os papéis para o lixo, se não fingirem que é uma tarefa lúdica, faz birras, grita, quer o “prazer na hora” e deixa até um espectador exausto.

Enquanto resisto a intervir (tentação que herdei da minha mãe), penso em como é que vão ser os políticos e os chefes de amanhã. Suspeito que ainda vamos ter saudades dos que temos, por muito inimaginável que isso agora nos pareça.

© Destak

13 comentários

  • Este FARIA deave ser ca um FDP...?
    Alem | 03.09.2010 | 14.53Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • "Eu..." que o detestei e lutei contra SI...Hoje rezo a todos os Santos e Santas para que volte e me perdoe...Ámen. Era demasiado novo, e, pior; MANIPULADO...PELO FOLEIRO E MARTELEIRO...lá do sítio...
    Phodinhas | 03.09.2010 | 14.52Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Não vamos ter saudades dos nossos politicos, porque eles actualmente comportam-se tal e qual os ditos "pápás" e também discretamente nos vão controlando. Nós só queremos defender os nossos direitos e que o papá Estado resolva a nossa vidinha. Não queremos ouvir falar em défices, em banca rota, em dívida pública...Os nossos papás é que sabem disso....
    Marisa | 29.07.2010 | 15.20Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • nao sabia que havia politicos em Portugal!deve ser falta de oculos e de uma "boa instrucao "academica" NESSE sentido claro!
    marieta severissima | 26.07.2010 | 08.01Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Boa noite! De hoje em dia, não é fácil de dar educação infelizmente, o habituarmos a ter de tudo um pouco e por vezes nunca estamos satisfeitos, é sempre uma dor de cabeça. O educar depende dos pais evidentemente, mas quando somos bombardeados a todos os estantes com coisas e formas positivas, mas infelizmente muitas delas negativas para o ambiente (MENTAL). Eu não estou muito habituado a ver novelas e determinados filmes, porque discordo no ponto em que: mata agora, depois esfola, muda de mulher ou de homem como muda de camisa. Bem, se é um teatro, tudo bem, na generalidade é uma forma de crítica positiva e logo se diz que é teatro. A Comunicação Social deve responsabilizar-se informar sim, mas também formar. é verdade que por vezes já tem um pouco de tudo. Ontem ia a conduzir e a pensar nessa situação, e veio-me á ideia que seria bom os filhos todos anos serem obrigados a frequentar algo , como sitio de lazer e aprender e cumprir as regras essenciais para a vida. Mas ao mesmo tempo, pensei que também era preciso para os pais. Enfim de hoje-em-dia, não é fácil para ninguém, mas se não fizerem nada, terá tendência a caminhar para o abismo. Diz algumas pessoas, que parecem que as pessoas não temem umas ás outras, não se importam se é feio ou não, se for paras a cadeia não faz mal, já ninguém repara. Portanto parece que perderam o tino. De vez em quando, pessoas dizem-me: já diziam os antigos, fica-te mundo cada vez para pior. Por vezes digo a essas pessoas que á 40 ou 50 anos era vida de escravatura em relação a hoje, não havia luz, nem papel higiénico,caros poucos, por vezes nem dinheiro nem comida. Mas é verdade que não havia tanto Streess, na pessoa singular como na família, como ao nível de toda a Sociedade. Bem, se quiserem dar uma pequena olhadela no meu blog, pode ser que encontre alguma coisa que agrade ou não. www.paznomundodireitoafelicidade.blospot.com Boa noite e bom fim de semana!
    Manuel Pereira Magalhães | 25.07.2010 | 02.33Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Dona Isabel, não quer pedir aos seus conhecidos estudiosos de tudo e mais alguma coisa para fazerem um estudo de radiação nas alturas em que se sentem estas estranhas "ondas de calor"? Deve conhecer um instituto para isso, não? É que há gente que parece detectar um elevado nível de emissões e energia na forma de ultrasons nessas alturas, será que é com o HAARP que aquecem os locais e depois levam as pessoas a pensar que o fenómeno é de origem natural?
    ULTRASONS | 24.07.2010 | 15.36Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Esta crónica só sabe a hipocrisia por um motivo: aparece quando o mal já está feito. Não apareceu enquanto o mal estava a ser feito, tendo antes nessa altura sido substituída por crónicas em defesa dos inúmeros "direitos" da criança. Por isso eu não acho que Isabel Stilwell seja uma cabra como diz o comentador anterior, acho mais que é uma atrasada no tempo com necessidade de protagonismo, como aquelas crianças que de repente vêm repetir aos pais aquilo que deles há muito ouviam mas como se fosse da autoria delas. No entanto, fala verdade, e quando de facto nos interrogamos sobre o que vai ser essa sociedade gerida pelos seres do futuro que no presente estamos a criar a coisa não deixa ninguém em sossego. A altura aproxima-se de as pessoas começarem a pensar sobre o que se passa, identificar quem promove tais questões, e depois decidirem-se se querem assim ou não querem. É como se a sociedade tivesse sido invadida por vermes, muitos deles coloridos, e os nossos filhos estão diariamente sujeitos à exposição do que esses vermes pensam e querem, enquanto que o resto é esquecido, afastado, ridicularizado, obstruído.
    VERMES | 22.07.2010 | 13.44Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Esta Isabel Stilweel é uma cabra! Escreve merdas de editoriais que nem interessam pila do seu pai. Esta velha desmamada é mesmo puta, não dava para prostituta, c'um caralho!
    Alexandre Faria | 22.07.2010 | 07.25Hver comentário denunciado
  • A maior parte dos Pais de hoje foram criados sem eira nem beira, por pais que passavam o tempo a beber copos nas noitadas até às tantas da manhã. Não sabem o que é trabalhar e muito menos educar. O resultado está à vista, plano muito inclinado e sem travões.
    Jose Antonio | 20.07.2010 | 21.00Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Estes são os frutos dos vossos ideais, valores e princípios éticos.
    Geração do Maio de 68 = Geração de Merda
    Alexandre | 20.07.2010 | 18.33Hver comentário denunciado
  • Eu tambem quero ter um jornal so para mim para comentar o que bem entendo e fazer brilhar minha cor politica. lol
    joana banana | 20.07.2010 | 15.58Hver comentário denunciado
  • Cara Isabel, percebo o que diz, mas alerto para a generalização exagerada. Há muitos casos como os que refere, de crianças que basicamente não estão a ser educadas, mas há também as outras, aquelas que estão a receber uma educação de qualidade - arrisco até a sustentar que a qualidade, para essas, é cada vez maior, precisamente porque a preocupação da sociedade com essa temática tem aumentado gradualmente.
    Talvez concorde que a proporção das primeiras vem (também e infelizmente) aumentando e que isso vai ter consequências na sociedade. Será dramático? Sim, mas apenas se não o vir como algo potencialmente divertido. Vai ser muito giro ver a educação que ELES vão dar aos filhos, não acha? Por isso, cara Isabel, "convido-a" a que fiquemos por cá uns valentes anos para que vejamos tais coisas a acontecer. Vai ser giro.
    J M Costa | 20.07.2010 | 12.07Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • É verdade.
    Principalmente do Engº. José Sócrates . . . !
    alexandre barreira | 20.07.2010 | 06.56H
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE