OPINIÃO

Coligação

17 | 11 | 2010   19.54H
João César das Neves | naohaalmocosgratis@ucp.pt

Osenhor ministro dos Negócios Estrangeiros tem toda a razão ao dizer que «o país precisa de uma coligação já» (Expresso, 13/Nov). É urgente acabar com querelas partidárias para o Estado assumir a sua autoridade. Sobretudo, é preciso pôr termo ao frenesim de fim de festa dos grupos de pressão, que fez derrapar o austero Orçamento deste ano e ameaça o próximo. O mal nunca esteve nas contas da lei, mas no descontrolo de caixa.

É verdade, como diz o senhor ministro dos Negócios Estrangeiros, que «temos uma situação política aberrante» (p. 4). O mais incompreensível é o Governo achar que alguém ainda acredita nele. Depois de sofrer em 2009 o maior salto no défice da história de Portugal, viu o Orçamento seguinte, que prometera corrigir a situação, derrapar em seis meses. Com dois fiascos sucessivos, não pode pretender que o país e o mundo acreditem que a mesma equipa vai conseguir controlar a situação em 2011.

O senhor ministro dos Negócios Estrangeiros é um político experiente. Se visse esta situação em qualquer país do mundo, imediatamente tiraria as consequências. Porque razão o Governo insiste em manter a ficção que os problemas de Portugal são de origem externa, injustamente afectando a sua impecável gestão? Este é o tipo de desculpa que Chávez e Mugabe costumam usar para se perpetuarem.

Portugal precisa de uma coligação. A única possibilidade de ela existir e ter sucesso é excluindo José Sócrates e Teixeira dos Santos. Em qualquer sistema político civilizado as faces do descalabro não fazem parte da solução.

© Destak

11 comentários

  • Enfim queres o bloco central, para poder mamar à vontade, sabendo que ninguém vos tira do poder. Agora já como assessor, mas talvez como chefe de gabinete, com ajudinha do compadre Cavaco Silva!
    Jose. vladimiro | 21.11.2010 | 11.44Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • "Não se nasce imponemente nas praias de Portugal" A.G.
    AMFA | 19.11.2010 | 17.16Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Olá!
    ..........................Sal É Má!!!!!!!!!
    "Estandarte das Artes", necessita-se!.........
    "ASILO POLÍTICO"!!!!!!!!!
    EUA, a quem nos quiser receber: a Todas e a Todos os Portugueses, com excpção de menbros do governo, presidente da república e deputados da ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA!!!!!!
    "ESTANDARTE DAS ARTES"
    "AVANÇAR.........!", não tenhais medos...estou por cÁ, PARA METER ordem.
    PAOLOsun
    Paolo | 19.11.2010 | 03.23Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Democracia é um sentimento muito lindo. Mas quando os homens dessa democracia provêm de organizações que operam na obscuridade deixa de ser democracia. A roupagem é democrática, o conteúdo é o contrário. Mudar faces é somente mudar faces, as organizações obscuras tratam bem de arranjar nas suas hostes novas faces. Continuam sempre a ganhar tempo...
    SOCIEDADES SECRETAS | 19.11.2010 | 00.06Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O Texy é um gajo giro que sabe das coisas!!! Quem não alinha com as piadas dos espertos das orelhas é de certeza boy do PS. Sim, quem é que se atreveria a criticar os que dizem mal só porque querem voltar a encontrar a teta que tanto bem lhes fez? É claro os boys do PS que já abandonaram o Tagus para entrarem as outras moscas que entraram por concurso aberto a todos e com júri isento e competente. Força Texy! aguenta que também vai chegar a tua vez!!!
    Manuel Tavares | 18.11.2010 | 22.53Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • É engraçado ver por aqui, criticando o João César, boys do PS que apenas pretendem defender o tacho ou, que se habituaram a viver do RM. O articulista aponta uma solução para o problema, os xuxalistas querem mais do mesmo. Foça do (mau) hábito.
    Texy | 18.11.2010 | 19.16Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Faz parte da táctica de conquista: primeiro guerrilhas (o curso, o Freeport, as casas na Beira), depois guerra (que até pode ter armistícios pelo meio, conforme as conveniências) e finalmente a bomba atómica.
    Neste momento estamos na fase 2, como o prova este artigo.
    Alfa | 18.11.2010 | 18.39Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Concordo plenamente!!! Tirem o PM e o ministro das finanças e ponham lá o amigo João César das Neves e outros amigalhaços televisivos que a coisa muda logo de figura. Até parece que nós somos todos parvos e não lhe percebemos a conversa. O matemático que dizia mal do governo e sabia de tudo já arranjou "tachinho" no Tagus Park e outros berram, berram e não conseguem nada. Vamos lá mudar a coisa que há muitos honrados empresários e gente importante que já não enche a barriga de geito desde o tempo do Cavaco e da Manuela, a Ferreira Leite claro, porque a Moura Guedes continua a desenvolver com o seu muchacho a sua bem cotada empresa de caça às indemenizações.
    Manuel Tavares | 18.11.2010 | 13.48Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Um deles licenciou-se à pressa, o outro demasiado devagar.
    Se calhar em coligação poderiam ser mais equilibrados, não?
    anónimo | 18.11.2010 | 12.00Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Doutor, como se engana!
    Portugal precisa, em primeiro lugar de HOMENS, e em segundo lugar de GOVERNANTES. Somos uma cambada de pedintes governados por líderes de ONGs. E, como sabemos, quando as coisas nos são dadas, não lhe atribuímos o verdadeiro valor. Quanto a essas coligações, mesmo essas, continuarão a defender os seus interesses partidários e a sua visão das coisas. Por que não poder governar-se em minoria!? Não precisamos de coligações para nada. Precisamos, sim, de rever a constituição de modo a que quem ganhar as eleições possa governar. Um bom princípio seria reduzir o número de deputados a menos de metade. Aí extinguiam-se aqueles que só perturbam e haberia lugar a maiorias. Há muitas outras formas de o conseguir. Queremos anarquistas como o PCP e o Bloco para quê? Se o povo lhes não dá mais representatividade é porque não lhes merecem confiança. Se há organismos fiscalizadores das contas do Estado, porque não dar-llhes poderes e funcionarem, independentemente das pretensões despesistas e clientelares dos governos!?
    Em suma, um país de gatunos, é ingovernável! É preciso, antes de mais, rever os códigos (penal e de processo penal) e meter esses corruptos todos na cadeia por longos anos. Igualmente para esses empresários de sucesso que fogem aos impostos. Com leis duras e aplicáveis tudo melhoraria. Enquanto a anarquia reinar, não iremos lá nunca. Somos pródigos em legislar, mas sempre com a salvaguarda dos tubarões. Referido pelos melhores economistas que a corrupção é o maior entrave ao nosso desenvolvimento. Por que não reduzi-la à sua expressão mais simples!?
    Enfim, é o que temos
    FIFI | 18.11.2010 | 10.56Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Enquanto não houver uma "coligação" do povo, e mostrar a estes "iluminados" que já "brincaram" o bastante às democracias, nunca jamais em tempo algum esta "santa terrinha" passará da "cepa torta" . . . !
    alexandre barreira | 18.11.2010 | 07.13Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE