OPINIÃO

Crise

20 | 04 | 2011   20.13H
João César das Neves | naohaalmocosgratis@ucp.pt

Oque mais custa nesta terrível crise é a suprema injustiça. Pessoas inocentes são despedidas, prejudicadas, espezinhadas, agredidas, e os verdadeiros responsáveis não só ficam incólumes, mas ainda se atrevem a protestar e dar-se como vítimas.

Parece que todos aqueles que se diziam líderes e tanto prometeram agora não são culpados, impondo aos pobres as cargas que eles criaram. Somos governados por crianças. Além da injustiça, sente-se a impotência. Não há nada que possamos fazer contra a tempestade que aí vem.

A crise embrulha-nos como enxurrada impiedosa e imparável, ao sabor dos credores internacionais. Sentimo-nos como gado levado para o matadouro, ovelhas mudas ante aqueles que nos tosquiam. É precisamente nesta altura que o calendário nos traz a Páscoa, que nos mostra isto mesmo, num grau muito superior. Milhares de milhões de pessoas em todo o mundo vão celebrar o mistério da suprema injustiça, da mais completa impotência.

Em Cristo a perfeita inocência é tratada com a máxima crueldade. A sublime divindade sujeita-se ao juízo iníquo por amor daqueles que não merecem a salvação. Esta redenção realizou-se uma vez por todas na história e cumpriu-se definitivamente sem precisar de acrescentos.

Mas ao mesmo tempo, misteriosamente, ela repete-se quotidianamente na vida de cada um, renovando-se sem cessar no nosso sofrimento. A celebração anual é uma lembrança solene daquilo que acontece continuamente na vida de quem tem fé. Este ano a Páscoa só se concretizará se nós virmos a crise com outros olhos.

© Destak

12 comentários

  • Cão fascista e fundamentalista
    Jo | 27.04.2011 | 23.02Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Estou de acordo com o comentarista que diz que os culpados somos todos nós, em conjunto.Os governantes que apenas pensaram em votos e facilitaram, para se manterem.Os governados que pensaram que com estas condições, mais valia não trabalhar.Há ainda o Pilatos que lavou as mãos por causa do temporal.Os impotentes (uma pequena minoria com que o Herman não conta, para o espectáculo) que viram que íamos bater contra a parede e nada puderam fazer.Assim se passaram dez anos a afundar o País.
    Carrapatozo | 26.04.2011 | 14.27Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Boa noite! Gostei a forma de discurso de comentar o que é a realidade da Sociedade por todas as partes do Mundo. É verdade que parece que estamos a caminhar por um bêco sem saída, em que o doente cada vez está mais pior e ninguém procura uma verdadeira solução.
    O que toda a gente sabe, que o negócio das armas, da prostituição, da droga e outros meios ilícitos, logo que dê para encher os bolsos a uma já basta rede, o resto é lixo, é escomalha. Isto é fazer pouco de uma Sociedade que quer contribuir com algo, mas não pode, e, que tem de ter cuidado com a língua. Aonde está a liberdade, a justiça, o bom senso, o humanismo, a boa cultura, os direitos e deveres. Até aqui, foram os protestos dos "à rasca", mas em breve devia ser os povos da Europa, como no mundo em geral. Não digam que será preciso fazer uma GUERRA, para desamunizar mais on ser HUMANO.´Há um dito popular que diz: a cabeça não serve só para criar piolhos. É tempo de organizar pessoas de bem, com o bom sentido, de prostestar e ter em mente as melhpres soluções que possa vir a dar boas alternativas. Penso, que estas eleições vain ser uma desgraça, a abstenções e os votos em brancos e os nulos, vai ser uma larga maioria. É preciso engenhar outras formas de protesto, mas sempre com motivação e orientação, para saber o que quer, aonde está para aonde deseja ir. O POVO, foi enganado e ainda não despertou, está num sono profundo, só quando levar um abanão a sério é que vai acordar. é triste chegarmos a tal situação, só com pessoas de bom senso e sem medo é que se pode dar os primeiros passos. Isto é um MUNDO de hipocrisia. Há um dito bem popular que diz: O Nosso Senhor não pode com tanto!
    Esperamos que as melhores soluções comecem a aparecer, mas como eu costumo a dizer, que de Politica e de Religião, se já não percebia nada, agora pior. Isto enquanto não houver um acordo INTERNACIONAL a vários níveis, não vai a lado nenhum, a não ser que seja o destoino de termos de passar por algum fatalismo indesejado.
    O meu desejo, é como o de sempre, as maiores felicidades para todos os povos do MUNDO. Se quiserem dart uma vista de olhos á carta que escrevi há um ano atrás, www.paznomundodireitoafelicidade.blogspot.com, continuação de uma boa noite, XAU!
    Manuel Pereira Magalhães | 25.04.2011 | 01.10Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • http://lishbuna.blogspot.com/2011/04/o-pensamento- filosofico-portugues-lxiv.html
    João Lisboa | 22.04.2011 | 14.53Hver comentário denunciado
  • JVLV, se diz que o autor desta crónica "não tem o direito" a escrever o que escreve, ouça, vá dar uma volta ao bilhar grande e apareça depois, pois o que precisa com toda a certeza é de apanhar ar fresco. Quanto ao resto que diz, é bem verdade que estes políticos que aqui deixámos crescer são cogumelos venenosos enfeitados, orgulhosos e incompetentes. Não têm capacidades para estar à frente de um Estado, como não é isso o que de facto querem. Eles querem é protagonismo bacoco para imbecis novos-ricos, já deu bem para percebermos. Não é gente adulta, são crianças grandes rodeadas de mimos, maldade e incompetência. Também é minha opinião que só o povo poderá resolver a questão de Portugal, só que há algo dramático que o impede: o povo vive numa ignorância do que se está a passar em seu redor e no mundo bem superior à ignorância que possuía no antigo regime. Encontra-se adormecido no mimo das soluções fáceis, promessas fantasiosas, telemóveis e ídolos musicais anglo-saxónicos. Nem a geração à rasca percebeu ainda sequer que está à rasca por durante a última década ter optado por tapar os ouvidos com headphones para desligar da realidade. Ficavam giros de headphones desligados do que se passava à sua volta. Agora é o que se passa à sua volta que se revela e prepara para os engolir. É sempre assim. Deixa-se o monstro avançar e depois fica-se surpreendido com a monstruosidade do monstro. Será que as pessoas têm também direito a desligar e não quererem saber? É claro que sim, mas depois que não se queixem ou venham com exigências. No meu ponto de vista, quem resume tudo sobre o presente estado da nação é precisamente o homem que idealizou o 25 de Abril de 1974, de quem, curiosamente, este jornal nunca fala, quando diz "Precisávamos de um homem com a inteligência do Salazar". Esse homem é Otelo Saraiva de Carvalho: http://www.publico.pt/Pol%C3%ADtica/otelo-precisav amos-de-um-homem-com-a-inteligencia-do-salazar_149 0806
    SOU CIVILIZADO, NÃO VOTO! | 22.04.2011 | 11.16Hver comentário denunciado
  • Portugal, nos intervalos das crises que o avassalaram, foi um país de projecto e de acção. Deixou obra e marcas de génio que, como todos os feitos, mesmo admiráveis, se vão desvanecendo na História, entrando no esquecimento..
    Hoje em dia, o nosso país faz parte da periferia europeia mais atrasada, a braços com uma crise de identidade, mais do que politica, financeira e económica. JCN tem razões para alarme, mas não tem o direito de misturar religião e convicções do foro íntimo com tudo aquilo que, objectiva, isenta e responsavelmente pode e deve ser sugerido e/ou proposto para superar uma crise que está a corroer, lenta e inapelavelmente a coesão nacional.
    Não foi por acaso que falei no passado. É que, todas as vezes que o país falhou, dramaticamente, foi o povo, como um todo, que apoiou, decidida e persisitentemente, a volta por cima. Penso que a maioria dos portugueses está disposto a isso. Lamentavelmente a classe politica em geral não está a ajudar. JCN também não.
    jvlv | 22.04.2011 | 09.19Hver comentário denunciado
  • Por que é que depois de ler o seu texto, fico com a impressão de que foi escrito " às três pancadas"?Será defeito meu?
    Pode ser. Se calhar estou com a minha capacidade de discernimento algo turvada...
    Vitória de Samotrácia | 21.04.2011 | 14.00Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • João César, tens que aprender economia e fazer uma reciclagem na Católica sobre assertividade...és muito má-língua....cura-te
    antónio Morais | 21.04.2011 | 12.04Hver comentário denunciado
  • A razão da morte de Jesus, esta Páscoa de FMI, a crise do dinheiro, a busca do ouro, tudo isso é um enorme ciclone que desde há centenas de anos roda à volta de um local: Jerusalém. E a propósito do mesmo, os portugueses deviam ser informados sobre o paradeiro do ouro que faltará nos cofres do Banco de Portugal: http://www.inverbis.net/sistemapolitico/governos-d esbarataram-483-ton.-de-ouro.html
    OURO=666? | 21.04.2011 | 11.55Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Resumo deste artigo:
    - dizer mal do Socrates;
    - dizer novamente mal do Sócrates;
    - lançar o medo (dizer que isto é tudo inevitável);
    - falar da pior forma da religião (Cristo é sofrimento);
    - falar em redenção;
    - dar uma mensagem política (dizer que devemos ver a crise com outros olhos);
    Se calhar ainde demorou menos tempo a escrever o artigo do que eu a escrever este comentário ... Há pessoas que não têm a mínima vergonha.
    alfa | 21.04.2011 | 10.07Hver comentário denunciado
  • Mas ver a crise com que olhos, pergunto eu, sr economista? Tantas vezes lhe ouvi apregoar os "milagres" irlandeses e o apelar para a sua importação! Pior de nós se estivéssemos como eles. Quanto às injustiças, creio não serem as do povo anónimo que o preocupam. Afinal, a igreja e os estados sempre oprimiram os mais fracos. Até aí nada de novo. Em relação ao Cristo, este, também não deveria ter sido pêra doce. Sabe-se lá o que terá feito de diabruras! Sobre o estado da nação, ele é crítico, mas nunca o conheci de outra forma. Por outro lado, nunca lhe ouvi apontar, claramente, os nomes de nenhum dos culpados, nobres figuras deste regime. V. Ex.cia faz-me lembrar os nossos "ilustres" deputados que ladram que se fartam uns aos outros na assembleia e cá fora confraternizam à grande e à francesa, trocando até de damas e cavalheiros. E quando toca a interesses corporativos, lá estão eles a afinar todos pelo mesmo diapasão. De mim, eu tenho pena e mágoa porque sempre fui esclarecido e nunca alinhei com estas novas ideologias ou correntes. Dos outros, lamento a sua ingenuidade, ignorância ou oportunismo. De qualquer forma, estamos todos no mesmo barco, nós os pequenos, sim, porque "ELES", os grandes, sabem bem como fazê-las e garantir o seu futuro e o dos seus. Que mais dizer ou fazer!? Ou nos conformamos com a má sorte ou nos revoltamos em massa e mostramos o verdadeiro poder do povo. Entre uma e outra opções, prefiro a segunda.
    FIFI | 21.04.2011 | 09.06Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Caro JCN . . . !
    E o "tsunami" . . . !
    Gerado pelo 25/4 . . . !
    Aproxima-se . . . !
    Implacávelmente . . . !
    E, no meio disto tudo . . . !
    Só aconselho que . . . !
    AGARREM-SE BEM . . . !
    ÀS "MALGUINHAS" . . . !
    alexandre barreira | 21.04.2011 | 07.16Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE