PUBLICIDADE
OPINIÃO

O jogo

28 | 04 | 2011   09.10H
João César das Neves | naohaalmocosgratis@ucp.pt

A classe política em geral tem dado uma triste imagem de si própria nesta crise. Pondo sempre a táctica eleitoral à frente do interesse nacional, repetidamente recusa a evidência mais patente, fomenta as ilusões mais tontas, omite as reformas mais candentes.

Agora, apesar de instada por múltiplas individualidades, mostra-se absolutamente incapaz de acordar uma estratégia de salvação nacional, insistindo na chicana e agressividade que, na grave emergência, só podem ser infantis.

É essencial compreender que isto é resultado da atitude popular durante décadas. Há muito tempo que jornais, conversas de café, opiniões de blogs têm instilado uma atitude cínica, desconfiada, boçal e quezilenta na nossa vida pública. Como nos tempos de Rafael Bordalo Pinheiro e d' As Farpas de Ramalho, esperamos o pior dos nossos dirigentes. Daí só pode nascer o pior.

Ansiamos por políticos sérios, competentes, dedicados. Mas fazemos tudo para os espantar. Quais são as pessoas sérias, competentes e dedicadas que se prestam ao enxovalho permanente da vida partidária e parlamentar?

O caso de Manuela Ferreira Leite e a estranheza com que foi acolhida e expulsa é disso prova evidente. Um clima destes só atrai equilibristas, manipuladores e ilusionistas, de que José Sócrates é o protótipo. Só assim se explica que ele, tendo acumulado mais fiascos, erros e desgraças do que qualquer primeiro-ministro da história moderna, ainda se apresente ao eleitorado com expectativas de ganhar.

O seu jogo, onde aliás é mestre, nada tem a ver com o interesse nacional.

© Destak

4 comentários

  • 1º de Maio de 2011
    Como toda a gente sabem , a razão deste dia, assim se fazem memória das 160 MULHERES mortas por ideias assassinas, que estavam habituados imposição ás várias formas de escravaturas. Hoje com a forma deste sistema ao nível global, estaremos comparados, por vários motivos. Por isso se não houver reformas profundas, principalmente da verdadeira Justiça com um conjunto reformas CULTURAIS, aonde reine o Bom senso. Por isso está na hora de as pessoas irem para a rua ordeiramente mostrarem a sua indignação e de saber, aonde estão e para aonde querem irem.
    A Ciência desenvolveu muito e Graças a ela que trouxe muitos benefícios, mas alguns deles tornaram-se negativos. Mas o pior Malefício contra os povos em geral é: foi e é a GANANCIA DESENFREADA sem ética. Todas as formas de corrupção foram absorvidas por todas as classes , porque o mau exemplo vem dos poderosos sem escrúpulo nenhum. Embora em todas as classes existe sempre pessoas honestas. É preciso reformas profundas e GLOBAL. Uma das principais reforma, é uma cultura, o da não violência , como todas as formas de JUSTIÇA, o procurar haver trabalho e como criar e desenvolver as necessidades e como as satisfazê-las.
    Se assim continuar, até ao fim do Ano a explosão social vai ser marcante, na Europa e não só. Será que vamos pagar impostos só para pagar os juros? Na Grécia os juros já vai 27% ou mais. Não entendo nada da matéria, mas acho que durante 10 ANOS deveria os juros serem 1 ou o máximo 2% , embora que a maior parte fossem para a industria e certo comércio, mas o consumo terá de ser controlado, mas sem ele, não haverá desenvolvimento.
    A Europa, os E.U.A. e os Países mais desenvolvidos d a Ásia precisam fazerem melhores acordos comerciais, com a motivação de ajudar os países subdesenvolvidos em todas as áreas incluindo o da não violência. O DESARMAMENTO, devia ser o mais URGENTE possível, procurando empregos noutras áreas, para que dêem mais felicidades aos povos e não o contrário.
    Portanto o 1º de Maio de cada ano, não pode ser uma simples manifestação, mas sim um ALERTA chamando a atenção o que está menos bem. É preciso criar desejos de felicidades que envolva todas as pessoas e não o contrário.
    Como simples cidadão parece que vejo a SOCIEDADE MEIA ANESTESIADA, PETURBADA, ninguém aponta caminhos de ESPERANÇA. Será que estamos todos na LUA sem saber? É um simples desabafo. A Europa precisa mais unidade em todas as áreas, que será a principal base. Deixemos de Ilusionismo. Mas como diz o povo: a Esperança é a última coisa a morrer, portanto esperamos ver se as coisas melhorem, mas também diz o dito: quem cala consente. Vai ser preciso ir para a RUA, mas também saber o que querem e saber se será possível. O meu protesto contra este sistema, vai ser já votar em branco, que é a 1ª vez, mais de certeza que a percentagem dos votos vai ser a mais baixa de sempre . As maiores felicidades para todos os povos do MUNDO. Manuel Pereira Magalhães. Email:paznomundodireitoafelicidade@gmail.com/www.p aznomundodireitoafelicidade.blogspot.com
    Manuel Pereira Magalhães | 01.05.2011 | 00.20Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Aos portugueses, eu já não tenho mais nada a dizer. Tudo o que era para dizer, já disse. E suspeito de que ninguém na Europa queira sequer ouvir falar de portugueses.
    PASSEM BEM | 28.04.2011 | 16.14Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Caro JCN . . . !
    Resumindo e concluindo . . . !
    Chegou-se ao ponto . . . !
    Que as "malguinhas" . . . !
    Estão em primeiro plano . . . !
    E a "pátria" . . . !
    Que se "amanhe" . . . !
    alexandre barreira | 28.04.2011 | 14.45Hver comentário denunciado
  • Que independência esta! Assuma-se e diga o que quer. É tacho? Mas mais ainda? É verdade que é vergonhoso assistirmos todos os dias ao vaivém PS/PSD, sobretudo em momentos de crise como este. Apesar dos telhados de vidro, senso tem o Paulinho feirante. Quanto aos sérios e capazes nunca ouvi falar mal deles. Essa senhora a que se refere só merda quer como deputada quer como ministra quer, ainda, como líder de partido. Se tiver um único exemplo de algo bem feito por ela, exponha-o com clareza. Trata-se de outro mito igual ao de Cavaco. Quanto ao Sócrates, concordo. É preciso muita lata para se recandidatar a algo e mais lata ainda para o aceitarem. Mas o Coelho só tem dado cambalhotas no vazio e daí que entre dois males que se conhecem ou afiguram, o bom povinho, como sempre, prefira não apostar no desconhecido. Que venha o diabo e escolha, mas fique certo que o povo não se deixa ouve vozes de burro e que estas nem ao céu chegam.
    Beata Manuela | 28.04.2011 | 13.49Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE