PUBLICIDADE
EDITORIAL

Feriados explicados aos enviados do FMI

06 | 06 | 2011   20.20H
Isabel Stilwell | editorial@destak.pt

A primeira tarefa difícil de Passos Coelhos vai ser a de explicar à ‘troika’ que vamos incumprir todos os prazos. Antes de mais, porque é sempre bom que se comece como se pretende continuar, e depois porque os senhores são capazes de estranhar o País parado durante o resto do mês de Junho, e querer saber porquê. Cabe então a Passos Coelhos, coadjuvado por Paulo Portas, explicar-lhes que embora Portugal tenha aprovado a lei do aborto, a lei do casamento entre homossexuais, protestado contra os crucifixos da escola e faça um finca-pé diário em deixar claro que por cá reina a separação clara entre o Estado e a Igreja, dando a ilusão de ser um país muito para a ‘frentex’, na realidade é um País de uma religiosidade profundíssima, alicerçada na maior das devoções aos seus santos populares, insistindo em celebrar (sem passar pela Igreja, bem entendido) qualquer outra data do calendário sagrado. Aliás, este périplo pelos santos dá aos nossos novos líderes uma oportunidade única de iniciar os representantes do FMI na teologia, mas também nas tradições e na gastronomia de cada região. Convém que não se esqueçam de lembrar que o Santo António de Pádua, na realidade é o de Lisboa, Fernando de Bulhões nascido no início do século XII e a quem é atribuído o dom da ubiquidade, o que poupa imenso em transportes, sendo além do mais o consumo de sardinhas um incentivo à produção nacional. Esclarecem-nos, de seguida, que o S. João (Baptista, que o Evangelista é em Dezembro) é o patrono dos empresários do Norte, e que já o S. Pedro revela a solidez de pedra da nossa economia. É claro que vai ser preciso mais latim para traduzir o significado do Corpo de Deus, mas nada comparado com a sabedoria e o parlapiê que implicará fazer entender por que é que paramos de trabalhar para celebrar o Dia de Portugal Falido. Mas, também, se não forem capazes de os fazer entender coisas tão simples, estão perdidos à partida.

© Destak

24 comentários

  • Os paneleiros são matreiros e sempre os primeiros a andar pelos carreiros onde estão os archeiros para darem o golpe certeiro no que aparecer primeiro que fica com eles o dia inteiro . E o parceiro fica à espera do cancioneiro que seja lisongeiro com o traseiro do companheiro .
    Luciano | 11.06.2011 | 12.57Hver comentário denunciado
  • Permita-me ainda que acrescente que, ao contrário do que o senhor afirma, uma criança criada por um casal homossexual vai desenvolver a sexualidade que desenvolveria caso fosse criada por um casal heteroxessual. Se assim não fosse não existiriam homossexuais pois todos nós somos filhos de um homem e de uma mulher. A sexualidade não pode ser ensinada. E quando o senhor pergunta quem são as vítimas eu respondo-lhe categoricamente que são os homossexuais. Quem nunca sentiu na pela a discriminação, os abusos verbais e físicos por ser homossexual não deve nunca julgar quem já passou por isso. Infelizmente a discriminação ainda existe e o senhor é a prova disso mesmo. São atitudes como as suas que fazem dos homossexuais as vítimas. É justamente por esse motivo que surgiram os tais lobys de que o senhor fala. Esses lobys ou grupos de pessoas lutam pela igualdade de direitos para os homossexuais porque pessoas como o senhor continuam activamente a tentar negar-lhes esses mesmos direitos como por exemplo o casamento e a adopção.
    Humberto Reis | 09.06.2011 | 23.03Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Senhor momentador "anticristo" saúdo-o pela honestidade da sua resposta. No entando o senhor continua errado. Não entendo o que quer dizer quando afirma que na natureza os animais são homossexuais por "questões de sobrevivência". Na realidade isso não significa nada. Também entre os animais com comportamento homossexual existem indivíduos do sexo oposto e ainda assim o comportamento homossexual persiste. Não existe diferença nenhuma entre o comportamneto homossexual nos animais irracionais e no bicho homem. Em ambos os casos é um comportamento natural. Também não tenho a certeza do que quer dizer quando afirma que o problema da homossexualidade é estar na moda. Se isso quer dizer que uma pessoa escolhe ser homossexual por estar na moda então o senhor está errado. Ninguém consegue escolher a sua sexualidade, esteja na moda ou não. O senhor escolheu a sua sexualidade? Claro que não, nasceu assim. Experimente mudar a sua sexualidade, não vai conseguir. Mas se entende que estar na moda é não ter receio de a mostrar em público então permita-me que lhe diga que felizmente os homossexuais já não precisam de se esconder. Que mal tem dar um beijo em público? Que mal tem andar de mãos dadas na rua? Que mal tem em mostrar afecto pelo(a) parceiro(a)? Homossexual ou heterossexual, desde que com respeito claro está, não tem mal nenhum. O senhor fala no Carlos Castro como se ele fosse representante da comunidade homossexual. O Carlos Castro era homossexual mas de forma nehuma pode ser utilizado para categorizar um grupo de pessoas. Quantos homens pagam a raparigas jovens para terem relações sexuais? Devem os heterossexuais ser punidos pelas acções de alguns indivíduos? É claro que não. Veja-se o exemplo do Zézé Camarinha que vai para a televisão gabar-se que teve relações sexuais com centenas de mulheres e recebe prendas delas. Deveríamos achar que todos os heterossexuais são promíscuos por causa do exemplo de um indivíduo? Claro que não. O que o senhor está a fazer é a escolher os maus exemplos de alguns indivíduos para denegrir a imagem de um grupo de pessoas.
    Como o senhor acredita que uma criança deve ser educada (com um pai e uma mãe) é um utópico faz-de-conta. Na nossa sociedade temos uma diversidade de tipos de família. Mães solteiras, pais solteiros, duas mães e dois pais. Essas famílias já existem, não é uma questão recente, o senhor é que não tem consciencia disso. O que ache que devemos fazer no caso de uma pai divorciado que tem a custódia dos filhos? Retirar-lhe os filhos porque lhe faltam as "mamas" da mãe? Não creio que o senhor acredite nisso. Além disso, há estudo que indicam que um casal de homens ou um casal de mulheres tem melhores condições para criar filhos do que família monoparentais. Tenho a certeza que mesmo o senhor não sabe quais são o males de advêm de uma criança ser criada por um casal homossexual por esses males só existem na imaginação das pessoas. As crianças criadas por casais homossexuais já existem há muito tempo e tornam-se adultos estáveis e perfeitamente inseridos na sociedade. É apenas o seu preconceito que não lhe permite ver a realidade.
    Acredito que o faz por preconceito inconsciente e não por maldade deliberada e por isso estou a ter esta conversa honesta consigo. Se eu pelo menos conseguir faze-lo pensar neste assunto à luz da verdade e não do preconceito então já fico contente.
    Humberto Reis | 09.06.2011 | 22.51Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Caro Humberto.
    Concordo com algumas das coisas que disse, no entanto deixe-me fazer alguns reparos.
    É verdade sim que a Natureza tem algumas especies homossexuais. A questão é que essa homossexualidade existe por questões de sobrevivencia. No caso do homem não se trata de sobrevivencia porque felizmente ou infelizmente o que não faltam é mulheres para chatear a pinha aos homens.
    O grande problema da homossexualidade é que na sua esmagaora maioria, tornou-se uma moda. É in ser-se gay. Veja os exemplos daquele velho porco e depravado do carlos castro que nada mais era que um inutil, cuja unica função era arrastar na lama o nome de pessoas alheias à vida dele e às quais nem ele nem ninguem tem direito de comentar sobre a vida alheia. Veja os exemplos que proliferam na televisão com casos como o Herman Jose e comandita.
    Estou em crer que neste momento a sociedade na sua maioria não vê com bons olhos a homossexualidade porque foram os próprios homossexuais que exacerbaram até ao limite a sua condição gay. Explique-me qual a finalidade de uma parada gay? Explique-me qual a necessidade de a maioria deles falarem à bixas com gestos que nem as proprias mulheres utilizam?
    E vou-lhe dizer mais. Eles passam a vida a queixar-se de que são vitimas, mas isso não passa de fantasminhas da cabecinha pequenina deles, porque eles não são vitimas de nada. Eles, em muitos casos, são os primeiros a faltar ao respeito aos heterossexuais, como ja me aconteceu a mim. E eu, que até nem gosto deles, nunca faltei ao respeito a nenhum deles.
    Explique-me a excentricidade, a palermice, o ridiculo, o nojo dos shows nocturnos de Drag Queens??? Quem é que quer chamar arte aquilo?
    Bem, mas eu podia continuar todo o dia a dar diferentes exemplos.
    Quanto à adopção de crianças por homossexuais, sou frontalmente contra. E volto a repetir. Uma criança precisa de ter uma figura maternal e uma paternal. E quando digo maternal digo da mãe. Com mamas para lhe dar o leite, não um gayzola qualquer que de certeza ira criar a criança com tendencias de paneleirola com toda a certeza.
    Mas isto como deve imaginar, é um assunto que dá pano para mangas. Como cada um tem direito á sua opinião, respeito a sua. A minha continua a ser de frontal oposição aos casamentos gays e mais ainda à adopção de crianças.
    E acredite que não tenho mal nenhum. Eles são bem piores do que aquilo que se pode imaginar. E se duvidas tem, veja a quantidade de lobbys gays que se formaram em todas as areas. Na comunicação social, na politica, em muitas organizações, e até nos trabalhos em geral. E eu pergunto. Quem é a vitima afinal?
    anticristo | 09.06.2011 | 17.11Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Pelo que entendi, o comentador "anticristo" é contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo porque é "contra natura". Ora vamos lá ver se eu entendi a sua opinião: contra natura é algo que vai contra aquilo que é natural, contra aquilo que não existe naturalmente mas sim por intervenção humana. Corrija-me, por favor, caso esteja a fazer uma avaliação errada da sua opinião. Mas se estou certo na minha análise então o senhor comentador comete erros no seu raciocínio. Em primeiro lugar, a homossexualidade existe naturalmente em muitas espécies animais, o Homem é apenas mais uma dessas espécies com capacidade para ter um relacionamento emocional e sexual com indivíduos do mesmo sexo. Assim sendo a homossexualidade não é contra natura. Esse é um erro frequente das pessoas que não entendem o que significa a homossexualidade no reino animal. Em segundo lugar, o comentador associa algo que não seja natural (contra natura nas suas palavras) com algo intrinsecamente errado. Aí está outro erro comum. permita-me que dê um exemplo. Os automóveis são uma criação do engenho humano e, como tal, não são naturais. Pode-se até dizer que o impacto ambiental de milhões de veículos motorizados é extremamente contra o delicado equílibrio da natureza. Certamente concorda comigo se eu afirmar que os automóveis são contra natura. O senhor comentador também estaria de acordo em acabar com os automóeis? E as vacinas? E a internet? e a comida em lata? Nada disso existe na natureza. O seu erro é considerar que algo que não é natural é obrigatoriamente mau, mas o senhor comentador está errado. Não acha que está a utilizar de dois pesos e duas medidas para julgar aquilo que lhe agrada e aquilo que não lhe agrada? Depois baseado na falsa premissa que a homossexualidade é errada, chega à conclusão que um casal homossexual não pode criar e educar uma criança. Para alé de desconhecer a realidade do nosso país, onde há décadas que casais homossexuais educam crianças que se tornan adultos perfeitamente equilibrados, não entende que o seu raciocínio está errado desde o princípio. Qual é o mal se uma criança vir os seu pais (do mesmo sexo) a beijarem-se? Consegue explicar? Eu acho que não. O único mal que daí pode vir é de pessoas como o senhor que acham que uma criança criada por pais homossexuais é inferior a outra criada por pais heterossexuais. O mal não está nem nos pais homossexuais nem na criança. O mal está em si! É a maldade que o senhor acredita existir e transmite por pensar desse modo que cria o problema.
    Humberto Reis | 09.06.2011 | 02.58Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Ó Margarida vá levar na bilha querida está bem?
    Se calhar a senhora ou é uma patroa de caca ou é casada com um desses abortos que infelizmente são patrões de meia tijela, ou se não fôr nenhum dos casos, é burra como um soco.
    A srª. não gosta de ter a peida na cama de vez em quando depois de trabalhar como uma preta? A não ser claro que a srª não saiba o que é trabalhar. Volto a reforçar. Os patrões que paguem aos funcionários o que lhes é devido e justo, que incentivem as pessoas e a produção aparece. Ninguém carrega um camião de cimento por 10 euros....... E depois o que disse não é correcto. Se for ver editoriais anteriores desta senhora, vai ver que ha mts que tem mts mais comentarios que este. Seja pela estupidez, pela má qualidade, ou pelo facto de ela não ter a minima noção do que diz, há mta gente que comenta.
    A srª quiz foi vir aqui dar uma de madame. Vá mas é pra casa arrumar e fazer o tacho pro seu marido. Quanto ao Humberto Reis.
    Caro senhor. Eu tambem sou contra o casamento Gay. E sou porque quer voces se espirrem todos ou não, é algo contra natura. E mais. Alem de ser contra o casamento gay, ainda sou contra a adopção de crianças por um casal de paneleiros. Que raio de logica, que educação vai receber uma criança ao ver dois paneleiros aos beijos??? Vai chamar mãe a quem?? Quando ele perguntar aos seus pais paneleiros como nasceu, vão dizer-lhe o quê?? Que o tiveram pelo cu???
    Pelo amor de Deus. Como se já não bastasse os lobys da paneleirada em todo o lado, ainda vem estes cromos defender atitudes aberrantes.
    E antes que outros panilas venham para aqui mostrar o seu repudio e dizer que me vão puxar os cabelos, quero que voces de fo**** TODOS !!!!!
    anticristo | 09.06.2011 | 01.23Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Estes media já não servem para informar, mas para entreter com questões que inventam. Se alguém ainda nos dias que correm acha que a produtividade de um país passa pelo número de feriados que esse país tem, o meu conselho é simples: deixe de ser parvo (se for o caso de estar a mentir), ou então recorra a um psiquiatra (se não for).
    IDIOTICE GRÁTIS POR AQUI | 08.06.2011 | 15.49Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Normalmente gente sem discurso sério nunca consegue obter de ninguém respostas sérias.
    SORRY | 08.06.2011 | 15.45Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Sr. comentador António Silva, correndo o risco me afastar do assunto do editorial, gostaria de perguntar-lhe por que motivo é contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Faço-lhe este pedido porque nunca consegui obter uma resposta séria a esta questão e não consigo entender o que leva alguém (heterossexual suponho) a ser contra o casamento de duas pessoas que nem sequer conhece nem nunca terão qualquer influência na sua vida. Bem haja.
    Humberto Reis | 08.06.2011 | 12.47Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Diz uma das "comentaristas" que a Alemanha tem 26 feriados e Portugal 15 feriados oficiais. Disse bem Oficiais. Depois há os religiosos e as "sagradas" pontes.... Mas note que se juntar todos esses feriados somam quasi tantos como os da Turquia um dos paises com mais feriados do MUNDO! Notar tambem que as 6 -7 horas que se trabalham nos ditos paises industriais, são de fgacto a trabalhar para apresentar resultados - Senão são desapedidos....As horas oficiais dos Portugueses são pontuadas com muito absentismo por doenças ( reais ou não) e com conversa e muitos cafezinhos para ajudar a passar o tempo. Trabalhei com organismo Portugues no estrangeiro, depois de 20 anos a trabalhar em organizações estrangeiras, e quando ficava a trabalhar depois das 17 h por necessidade de pôr trabalho em dia depois dos muitos feriados , o director perguntou-me se eu pensava que com a minha preocupação ia salvar a Pátria .....
    Ana | 08.06.2011 | 12.45Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • UAUUUU!!! Não me lembro de ver outro editorial com tantos comentários!!!! Está de ver que tocou MESMO no ponto fraco!!!!!! não acha?....
    Margarida | 08.06.2011 | 11.46Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Olá Isabel sempre gostei dos seus editoriais ! Portugal é o País da Europa com mais horas de trabalho e menos salários ou estão muito mal distribuídos!! Quanto à eparação entre e o Estado e a Igreja, a conversa é outra ....a Igreja "oferece" valores éticos e morais que estão em decadência no Mundo e mais na Europa. Fui contra o aborto no referendo e embora nada tenha contra homossexuais mas casamentos NÃO CONCORDO...e tenho esse direito porque já "defendi" numa Petição a morte de um homem homosexual que ia ser condenado à morte no Uganda! Portugal só tem que cumprir pagamentos , não tem que da satistações sobre os nossos usos e cosumes que são a nossa tradição...e não me refiro ao "aborto" nem à Lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo!
    Um bom dia para si!
    Antonio Silva | 08.06.2011 | 10.06Hver comentário denunciado
  • Minha senhora todos os países têm feriados e vão continuar a ter e não é por isso que se trabalha menos. Se está a tentar ser sarcástica, falhou o seu objectivo, se está a tentar ser séria, errou o alvo completamente. Portugal está entre os países que mais trabalham na Europa, ao contrário da Alemanha da Sra. Merkel que é um dos países que menos trabalha e que até tem mais férias que nós e quanto aos feriados na Alemanha são 26 contra os 15 nacionais de Portugal. Não incluí os regionais ou locais.
    Luísa | 08.06.2011 | 01.22Hver comentário denunciado
  • Sim férias & feriados são sagrados em Portugal
    Charles | 07.06.2011 | 21.31Hver comentário denunciado
  • Concordo com a maioria dos comentarios abaixo.
    Minha senhora, vamos acabar sim com essa treta de que nos outros paises nao ha feriados, e que todos trabalham muito e ronhono ronhonho. Isso é tudo tanga de quem quer ver este assunto tratado pelo lado do patronato!!!!!
    Pois eu passo a explicar. Conheço muito bem a realidade de um dos países mais avançados do mundo. E sabe uma coisa? Aqui também há feriados. E não são poucos. Voce quer que eu acredite que um dia de paragem vai levar um país à falencia? Treta. O que se passa nesse país, é que as pessoas ganham à hora, o que quer dizer que a senhora ganha o que trabalha. Se trabalhar 5 horas ganha 5, se trabalhar 12 horas é paga por essas 12 horas. Enquanto no nosso fabuloso país, e dou o meu exemplo, eu trabalhava numa empresa de merda, que pagava ordenados ridiculos, e quer trabalhasse 8 ou 12 horas, via o mesmo. Resultado. A empresa enriquece, o preto não. Claro que quando se trabalha e não se vê resultados desse trabalho, que motivação pode a sra. pedir a quem trabalha? ZERO !!!!!
    Por isso vamos la acabar com estas merdas e ficções e vamos pagar, PAGAR mesmo as pessoas pelas horas que trabalho, compensa-las, dar alguma, ainda que seja pouca, da riqueza que a empresa tem para que as pessoas se sintam motivadas e integradas. Agora enquanto o chulo do patrão potuguês quiser abafar o saco todo para ele e paga miserias, que não esperem milagres!!!!
    anticristo | 07.06.2011 | 18.50Hver comentário denunciado
  • Parvoíces Isabel, simplesmente parvoíces o que escreve.
    Com a sua ironia demonstra, mais uma vez, a sua ignorância em relação à vida do povo Português.
    Pensa mesmo que são os feriados, alguns em excesso concordo, mas pensa que são estes que fazem baixar a produtividade?
    Esqueça essa teoria de "café" e informe-se da realidade antes de soltar bacoradas.
    Existem dezenas de motivos para tal mas nenhum se prende com feriados e pontes.
    Saia do escritório e vá para o meio do zé povinho e aprenda a realidade mulher.
    pedro lindo | 07.06.2011 | 17.14Hver comentário denunciado
  • Excelente artigo, recheado de humor, caustico e sarcastico q.b., de fazer inveja a qualquer humorista e Santo Popular que se preze. Se Passos Coelho conseguir explicar isto á "Troika" já merece ser 1º ministro. Sim, porque feriados e pontes são a única coisa que nos resta. Verdade?
    Rogerio Guimarães | 07.06.2011 | 16.20Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • A meu ver o problema da produtividade não são realmente os feriados mas, sendo eu católica e praticante, tenho alguma dificuldade em compreender como pessoas que não hesitam em denegrir a Igreja e a religião, saltem logo em defesa dos feriados, mesmo dos religiosos!
    Sara | 07.06.2011 | 14.09Hver comentário denunciado
  • Este editorial parece ter sido redigido por alguém do mesmo estilo dos "iluminados da treta" que fizeram aquele vídeo dirigido à Finlândia! O veneno dos pacóvios...
    VENENO DOS PACÓVIOS | 07.06.2011 | 13.50Hver comentário denunciado
  • Os agentes da má língua e do veneno gratuito não páram, e os seus "paus mandados" estrategicamente colocados nos jornalecos grátis (pois só assim é que alguém lhes pega) e de segunda categoria também não. Devem estar furiosos por os portugueses terem mandado à vida os Internacionais Socialistas, seus amigos? E a presunção de estar a dar recados ao novo primeiro ministro é a demonstração mais óbvio do grau de bacoquice deste editorial, ou de quem usa a autora como "moça de recados". Não seria melhor dedicarem-se a coser meias?
    COSER MEIAS, MINHA! | 07.06.2011 | 13.44Hver comentário denunciado
  • esta senhora escreve sempre, mesmo que sejam disparates, como é o caso deste artigo.
    manuela fontes | 07.06.2011 | 10.51Hver comentário denunciado
  • Cara Isabel Merkel (ai não é Merkel, é Stilwell? Desculpe, confundo sempre as pessoas que dizem baboseiras...)
    A questão dos feriados e das pontes é uma falsa questão. Tal como o "livro de ponto" ou os "relógios de ponto". A questão central para a produtividade tem um nome: motivação. Que pode nem sequer ser monetária.
    Agora, quando em vez de motivar se procura é limitar... o mais natural é que a produtividade caia na lama.
    Por este andar, a Isabel ainda acaba a defender os horários de 16 horas/dia que levaram aos protestos que viriam a originar a jornada de 8 horas e a instituição do 1º de Maio como Dia do Trabalhador... mas se for ver as estatísticas comprovará que a produtividade, então, era bem inferior à actual!
    Vítor Vieira | 07.06.2011 | 10.35Hver comentário denunciado
  • genuína conversa da treta! Portugal não tem mais feriados do que outros países. Olhem o rendimento dos alemães durante a Ocktoberfest! Quem quer comprar um carro feito nessa altura?? O país com mais feriados é a Bélgica, e lá se fizer mais de 29graus centígrados e não houver ar condicionado não é obrigado a trabalhar nas fábricas. Vamos ter um pouco mais de rigor e visitar os mitos de outros países parta verificar que o que se diz do nosso também é mitos. Então a senhora agora queria que não tivéssemos santos populares? Para quê?
    rosa | 07.06.2011 | 09.52Hver comentário denunciado
  • Cara Isabel . . . !
    Deixe lá . . . !
    Não se rale tanto . . . !
    Porque com esta . . . !
    Brincadeira toda . . . !
    Pode crer minha caríssima . . . !
    Ainda vamos ter o "feriado" . . . !
    Do dia das "malguinhas"
    alexandre barreira | 07.06.2011 | 07.03Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE